D. António Taipa divulgou que partilha vai também para Fundo Solidário Diocesano

Foto: João Lopes Cardoso/Diocese do Porto

Porto, 15 fev 2018 (Ecclesia) – O administrador diocesano do Porto disse que a Quaresma “sublinha o “cuidado com outro”, anunciando que os donativos das comunidades locais este ano vão ser aplicados no Fundo Solidário Diocesano e num orfanato na Guiné-Bissau.

Na homilia de Quarta-feira de Cinzas, enviada hoje à Agência ECCLESIA, D. António Taipa explicou que esmola é “partilhar com os irmãos”.

“Dar a mão ao outro, para com ele, lutarmos por uma vida melhor, mais digna, mais consentânea com a dignidade humana”, afirmou, antes de divulgar que a renúncia quaresmal na diocese vai reforçar o Fundo Solidário e auxiliar o trabalho de um orfanato das Irmãs de Santa Mariana de Jesus – Marianitas, na Guiné-Bissau.

O responsável convidou os católicos a “ir ao encontro do outro, na sua necessidade”.

A Quaresma, que começou esta quarta-feira, para além da partilha é um período marcado também por apelos ao jejum e à penitência, na preparação para a Páscoa, arincipal festa do calendário cristão.

“Começa com este rito da imposição das cinzas que nos projeta para uns quarenta dias de particular penitência e esforço de conversão. É um grande pedido de Deus. A súplica sofrida do seu amor materno”, referiu D. António Taipa.

Segundo o administrador diocesano do Porto, a conversão acontece na “convergência duma assumida consciência da própria fraqueza e infidelidade” e de uma fé firme na “indestrutível misericórdia de Deus”.

A oração, acrescentou, é oportunidade de “diálogo com Deus” onde na conversa se pode confidenciar a vida para dizer “como vão as coisas, projetos, as esperanças, medos, realizações e os insucessos”.

Neste contexto, D. António Taipa recordou que nos dias 9 e 10 de março vão realizar-se as ‘24 horas para o Senhor’, com a celebração do Sacramento da Reconciliação.

CB/OC

Partilhar:
Share