D. Manuel Linda presidiu a Missa pelos membros do clero diocesano que já faleceram

Porto, 12 set 2020 (Ecclesia) – O bispo do Porto presidiu esta sexta-feira à Missa pelos membros do clero diocesano que já faleceram, evocando a figura de D. António Francisco dos Santos, que morreu a 11 de setembro de 2017.

D. Manuel Linda falou do seu antecessor como exemplo de “ternura e caridade”, pedindo aos sacerdotes que sejam “mais paternos e mais amorosos”, informa o jornal diocesano ‘Voz Portucalense’, na sua edição online.

A Missa em sufrágio pelos bispos, sacerdotes e diáconos que serviram a Diocese do Porto foi concelebrada pelos bispos auxiliares do Porto, D. Pio Alves e D. Vitorino Soares; pelo bispo auxiliar emérito D. António Taipa; e ainda D. Américo Aguiar, bispo auxiliar de Lisboa, antigo membro deste clero diocesano.

Na sua homilia, D. Manuel Linda destacou que a Igreja deve ser manifestação da “caridade de Deus”.

“O sacerdote, o bispo e o diácono é a via da Igreja, por isso, para o bispo, o presbítero e o diácono não há outra forma que não seja ser fenómeno temporal da caridade de Deus”, precisou.

O bispo do Porto exortou “os ministros ordenados a exemplo de D. António Francisco a seguir esta certeza: a Igreja que está no mundo só pode ser esta incarnação temporal do amor misericordioso e ternurento de Deus”.

“A ternura e a misericórdia eram dois grandes apanágios de D. António Francisco e por isso se tornou simpático, e porventura, por causa disso muitos seguiram o caminho de Jesus”, acrescentou.

No final da Missa houve um momento de oração junto do túmulo onde está sepultado D. António Francisco dos Santos, na Capela de S. Vicente, nos Claustros da Catedral do Porto.

OC

Partilhar:
Share