D. Manuel Linda pede um ministério marcado pela proximidade a Deus e às pessoas

Porto, 09 abr 2020 (Ecclesia) – O bispo do Porto escreveu uma carta aos padres da diocese, no dia que lhes é particularmente dedicado no calendário católico, elogiando a forma como têm enfrentado os desafios provocados pela pandemia de Covid-19

“Quero dar os parabéns ao clero do Porto porque, de forma absolutamente notável, permanece unido ao seu povo neste momento difícil e angustioso. Mesmo que alguns tivessem de se repartir entre a família a cuidar e os paroquianos a atender, nunca a estes faltou a solidariedade do seu Pároco e dos Diáconos”, refere D. Manuel Linda, num texto divulgado pela diocese.

Citando o Papa Francisco, D. Manuel Linda desafia os padres e diáconos a “levar muito a sério as três «proximidades» que os devem caracterizar: “Com Deus, por uma intimidade expressa na oração, na vida de piedade em geral e na referência a Ele de tudo o que fazemos no nosso ministério; com os irmãos, constituindo com eles e com o bispo um efetivo Presbitério ou, no caso dos Diáconos, uma específica «família diaconal»; e com o povo que nos está confiado, dedicando-nos a ele com aquele sentimento de paternidade que nos leve a preocupar-nos com o seu bem espiritual e temporal”.

O responsável católico recorda que, “por motivos de força maior”, foi necessário adiar a Missa Crismal e o convívio de Quinta feira Santa, que marcam este dia.

D. Manuel Linda saúda a “solicitude” do clero diocesano, marcada por “frequentes contactos telefónicos para saber se as coisas vão bem, ofertas de ajuda em situações mais difíceis, recurso às plataformas da comunicação para que a unidade paroquial não se perdesse”.

“Continuemos, embora sempre com muita prudência e no estrito cumprimento das normas, sejam litúrgicas, sejam as que as autoridades nos recomendam: a caridade cristã passa, fundamentalmente, por conter a epidemia e não promover mais contágios”, acrescenta.

OC

Partilhar:
Share