«É o feminino no seu melhor, que não olha a sacrifícios, é forte, cumpre missões de excecional responsabilidade, possui um especial sentimento de fé e sabe dedicar-se ao bem comum com uma determinação a toda a prova» – D.Manuel Linda

Porto, 04 abr 2021 (Ecclesia) – O bispo do Porto afirmou hoje que se deve às mulheres a “melhor introdução ao mistério da Páscoa”, sublinhando o seu exemplo de fé nas comunidades católicas.

“Porque sabem seguir e amar, ficam encarregadas do primeiro e mais solene anúncio: Cristo Senhor não se encontra por detrás de uma pedra de túmulo, de uma lápide funerária, e que a única forma de O «encontrar» é fazer-se seu discípulo e assumir a sua causa”, disse D. Manuel Linda, na Sé do Porto.

Na homilia de Domingo de Páscoa, enviada à Agência ECCLESIA, o bispo do Porto referiu que, para que Pedro e João “vissem e acreditassem”, foi preciso que uma mulher, Maria Madalena, “fosse comunicar a absoluta novidade da ressurreição”, depois de se levantar da cama “mais cedo, corresse ao sepulcro, vencesse o medo”.

“É o feminino no seu melhor, que não olha a sacrifícios, é forte, cumpre missões de excecional responsabilidade, possui um especial sentimento de fé e sabe dedicar-se ao bem comum com uma determinação a toda a prova”, acrescentou.

Neste contexto, o bispo do Porto assinalou também que, no Evangelho da Vigília Pascal, três mulheres testemunharam “a plenitude da ressurreição antes dos homens”.

“Devemos a estas mulheres a melhor introdução ao mistério da Páscoa e o indicador concreto do que é ser cristão. Como, de maneira geral, lhes devemos o melhor da humanidade”, afirmou.

D. Manuel Linda destacou, por exemplo, o “desvelo maternal pela vida nascente” e a coragem na assistência à vida que definha, a consagração aos setores estruturantes da sociedade que são a educação e a saúde, a presença “solícita e insubstituível na vida da Igreja”, particularmente nos setores mais escondidos e menos atraentes.

“Aquela especial sensibilidade religiosa que, sem desprezar o concreto das pequenas coisas para as quais o homem parece não ter jeito, só atesta o tão celebrado e celebrando «génio feminino». Esta é a sua cruz. Mas é também o seu título de glória”, desenvolveu.

“Os meus parabéns e o meu muito obrigado”, disse o bispo do Porto, a todas as mulheres a quem, “porventura, o mundo deve mais que aos homens”, e pediu que na pequena Igreja, que é a família, e na grande Igreja, a Católica, “elevem bem alto a luz de Cristo Ressuscitado e ajudem todos a caminhar à sua claridade”.

Na homilia intitulada ‘A Cruz e a luz’, D. Manuel Linda declarou que compreender a ressurreição “não é tarefa fácil” e que é da experiência e do testemunho que “nasce a convicção da fé”.

A Páscoa assinala a ressurreição de Jesus e é a festa mais importante do calendário litúrgico da Igreja Católica.

CB/OC

Partilhar:
Share