Padre Mariusz Wilk, diretor nacional da Pastoral Juvenil da Polónia, afirma que a festa dos próximos dias vai depois continuar em Lisboa, em 2023

Foto KBO SDM Departamento Nacional para a preparação da JMJ, na Polónia

Lisboa, 21 ago 2021 (Ecclesia) – Os símbolos da Jornada Mundial da Juventude, a cruz e o Ícone de Nossa Senhora, começam este sábado a sua peregrinação na Polónia, o país-natal do Papa São João Paulo II, até ao próximo dia 1 de setembro.

O padre Mariusz Wilk, diretor nacional da Pastoral Juvenil da Polónia, expressou a gratidão dos jovens polacos pela “grande peregrinação” dos símbolos da JMJ no país.

“Começamos hoje a grande peregrinação de 12 dias com os símbolos da JMJ a viajar na Polónia, nas 23 dioceses. Queremos que a presença dos símbolos aqui entre nós, na Polónia, seja um momento muito importante para, unindo-nos à Cruz e ao Ícone de Nessa Senhora, podermos prosseguirmos até Lisboa, para a JMJ”, afirmou o padre padre Mariusz Wilk em declarações citadas no site da JMJ Lisboa 2023.

Na informação divulgada pelo Comité Organizdor Local da JMJ em Lisboa, a peregrinação na Polónia começa hoje em Zakopane, e, ao longo de 10 dias, os símbolos vão passar por diversos locais, como Czestochowa (26), a capital Varsóvia (29), Gdansk (31) e despedem-se em Westerplatte, a 1 de setembro.

A Polónia, o país-natal de São João Paulo II, o Papa que deu início à Jornada Mundial da Juventude, já recebeu duas edições internacionais deste encontro de jovens, há cinco anos, em 2016, em Cracóvia, e Czestochowa, em 1991.

Foto KBO SDM Departamento Nacional para a preparação da JMJ, na Polónia

O Departamento da Pastoral Juvenil (DNPJ) de Portugal levou a cruz peregrina e o ícone de Nossa Senhora para a Polónia, na “carrinha dos símbolos” da JMJ 2023.

O padre Filipe Diniz, diretor do DNPJ, com mais um elemento da equipa, saíram de Lisboa na quarta-feira, numa carrinha identificada com o “logotipo e o layout” do encontro mundial que se vai realizar na capital portuguesa, no verão de 2023.

À Agência ECCLESIA, o responsável pela peregrinação dos símbolos da JMJ Lisboa 2023 explicou que a cruz e o Ícone de Nossa Senhora vão estar dez dias no país do leste da Europa, de 21 de agosto a 1 de setembro, e regressam a Portugal para começarem a peregrinação por Espanha, entre 5 de setembro e 29 de outubro.

A peregrinação pelas 21 dioceses católicas portuguesas, onde vão permanecer durante um mês em cada uma, decorre entre novembro e julho de 2023; Os símbolos regressam ainda a Espanha para o encontro europeu de jovens em Santiago de Compostela, de 4 a 7 agosto de 2022, no âmbito do ano santo (ano jacobeu ou jubilar).

A peregrinação internacional dos símbolos da JMJ começou em Angola, onde estiveram 40 dias, de 8 de julho a 17 de agosto.

A Cruz da JMJ foi entregue pelo Papa João Paulo II aos jovens, em abril de 1984, e marcou o início de uma peregrinação da juventude de todo o mundo; em 2000, o mesmo pontífice confiou aos jovens uma cópia do Ícone de Nossa Senhora ‘Maria Salus Populi Romani’.

A cruz de madeira mede 380 cm de altura e pesa 31 kg; os braços medem 175 cm de largura e os painéis em madeira medem 25 cm de largura, e o Ícone de Maria mede 118 cm de altura, tem 79 cm de largura e 5 cm de profundidade, pesando 15 Kg.

A Cruz peregrina já viajou aos cinco continentes e a quase 90 países: Foi transportada de avião, a pé, de barco, por trenós, gruas ou tratores, passou pela selva, e visitou igrejas, centros de detenção juvenis, prisões, escolas, universidades, hospitais, monumentos e centros comerciais.

O ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani está associado a uma das mais populares devoções marianas em Itália e é antiga a tradição de o levar em procissão pelas ruas de Roma, para afastar perigos e desgraças ou pôr fim a pestes; O ícone original encontra-se na Basílica de Santa Maria Maior, em Roma

As JMJ nasceram por iniciativa do Papa João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude.

Cada JMJ realiza-se, anualmente, a nível local (diocesano) no Cristo Rei (até ao ano passado, a celebração decorria no Domingo de Ramos), alternando com um encontro internacional a cada dois ou três anos, numa grande cidade, que são um acontecimento religioso e cultural, durante cerca de uma semana.

CB

(Notícia atualizada às 19h50)

 

Partilhar:
Share