D. Manuel Quintas crismou 14 jovens e adultos

Foto: Samuel Mendonça/Folha do Domingo

Faro, 22 mai 2018 (Ecclesia) – O bispo do Algarve crismou jovens e adultos das paróquias de Loulé, Montenegro, São Luís e Sé de Faro, este domingo, Solenidade do Pentecostes, na Eucaristia que presidiu na Sé de Faro.

“Ser cristão, ser batizado, ser crismado significa não estacionar, não se acomodar, não parar na própria vida porque isso seria uma contradição à ação do Espírito”, afirmou D. Manuel Quintas.

Na informação enviada à Agência ECCLESIA, o jornal ‘Folha do Domingo’ divulga que o bispo diocesano explicou que o crisma “é como se fosse o Pentecostes daqueles que estão a ser crismados”.

“Ser batizado e, sobretudo, ser crismado é deixar-se movimentar por este dinamismo do Espírito”, acrescentou na Solenidade do Pentecostes.

D. Manuel Quintas observou que o crisma ou confirmação é o “sacramento do Espírito Santo” que “põe todos em movimento, em dinamismo missionário, em tensão missionária, ou seja, constantemente abertos, dispostos e disponíveis para serem hoje sinais vivos de Cristo ressuscitado”.

“É uma missão urgente para os dias de hoje”, referiu, assinalando que os crismados são ungidos com o óleo do crisma para que “difundam por toda a parte o bom odor de Cristo”, pelo testemunho que é “o que mais contagia, interpela e modifica o ambiente”.

D. Manuel Quintas destacou também o facto de no grupo de 14 pessoas estarem adultos que é “sinal que os apelos ao aprofundamento da fé, de maneira particular para os adultos, está a ser escutado”.

“E é muito consolador ver, entre os grupos de jovens que são crismados, sempre um grupo numeroso de adultos. Isso deve-se ao testemunho de todos os cristãos da diocese”, realçou o prelado.

“Queremos invocar o Espírito Santo com os seus dons sobre cada um de nós, sobre toda a Igreja, mas de maneira particular, sobre os jovens que hoje vão ser crismados”, referiu o bispo do Algarve no início da celebração, informa o jornal ‘Folha do Domingo’.

CB

Partilhar:
Share