«Um novo começo depois da Covid» – Cardeal Pietro Parolin

Cidade do Vaticano, 04 mai 2022 (Ecclesia) – A Secretaria de Estado da Santa Sé e a ‘Fundação pela renovação do alojamento da Guarda Suíça Pontifícia do Vaticano’ assinaram hoje o memorando de entendimento, que é “um novo começo depois da Covid”, disse o cardeal Pietro Parolin.

“A assinatura do Memorando representa uma etapa importante de um caminho empreendido desde o final de 2016, visando a modernização dos edifícios que compõem o atual alojamento, para adaptá-lo às novas normas habitacionais e também de acordo com critérios ecológicos”, explicou o secretário de Estado da Santa Sé, ao portal ‘Vatican News’.

O cardeal Pietro Parolin salientou que a assinatura do memorando de entendimento “é um verdadeiro novo começo após a pausa imposta pela Covid”, realçando que realizar este ato no contexto das celebrações solenes do juramento dos novos Guardas Suíços “expressa, de maneira muito concreta”, o quanto se preocupam com os seus membros e o “precioso serviço” que fazem há quase 500 anos para proteger o Papa.

Esta sexta-feira vai realizar-se o juramento de 36 novos recrutas; A data juramento anual está ligada ao 6 de maio de 1527, quando vários guardas suíços foram mortos durante o saque de Roma, por parte das tropas do imperador Carlos V.

O responsável da Santa Sé contextualizou que foi criada uma Fundação ad hoc na Suíça que, de acordo com as autoridades da Santa Sé, “apresentou um projeto preliminar” ao Papa Francisco, em outubro de 2020, referindo que a pandemia Covid-19 “ofereceu tempo adicional para reflexão”.

“Desenvolveu-se a convicção de que seria difícil prever o início dos trabalhos antes do Jubileu de 2025. Ao mesmo tempo, percebeu-se que o projeto preliminar precisava ser melhor elaborado, tendo em vista os laços históricos, artísticos e paisagísticos a que o alojamento está sujeito, sem descuidar das obrigações da Santa Sé decorrentes da inscrição da Cidade do Vaticano na Lista do Património Mundial da UNESCO”, desenvolveu D. Pietro Parolin.

O alojamento da Guarda Suíça é um edifício de “inegável valor histórico”, “património da Unesco” que remonta aos pontificados de Pio IX (1846-1878) e Pio XI (1922-1939).

“A preservação das fachadas externas será um elemento essencial para isso, assim como a restrição de altura imposta pela Colunata de Bernini. Um outro elemento é a necessidade de proteger e valorizar os importantes monumentos vizinhos, em particular o Passetto di Borgo com a Porta Sancti Petri, e as provas arqueológicas da necrópole romana”, exemplificou.

O secretário de Estado da Santa Sé destaca que o apoio do povo suíço – “Conselho Federal da Confederação Suíça, aos Cantões, às comunidades eclesiais, fundações e doadores privados” – ao projeto do novo alojamento “tem sido caracterizado até agora por uma grande generosidade”, até agora, a maior parte da soma prevista pela Fundação “foi assegurada na forma de doações e promessas contratuais de doação”.

“A nossa gratidão também se estende a todos aqueles que trabalharam e continuarão a trabalhar para animar a campanha de arrecadação de fundos, sabendo que esse esforço tornará possível proporcionar à Guarda, a suas famílias, e a todos aqueles que a assistem melhores condições de moradia para a realização da nobre missão deles”, concluiu o responsável, citado pelo portal ‘Vatican News’.

CB

Partilhar:
Share