Lisboa, 04 dez 2018 (Ecclesia) –Asia Bibi, a cristã paquistanesa que passou oito anos no corredor da morte acusada de blasfémia, deixou o seu país e reuniu-se com familiares no Canadá.

A notícia foi confirmada pelo seu advogado, que fala num “grande dia”, informa a fundação pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (AIS).

Saif Ul Malook disse ainda que o asilo no Canadá foi o resultado do trabalho de ativistas, diplomatas e organizações que lutaram durante estes “tempos difíceis” pela “liberdade de Asia Bibi”.

O Supremo Tribunal do Paquistão rejeitou em janeiro um recurso contra a sua decisão de absolver a cristã das acusações de blasfémia, pelas quais tinha sido condenada à morte.

A decisão foi contestada por grupos radicais islâmicos, que exigim a execução da mulher, absolvida no final de outubro de 2018, depois de oito anos na prisão.

A mulher, mãe de cinco filhos, esteve presa após ter sido condenada à morte por blasfémia em 2010; no final de outubro, o Supremo Tribunal de Justiça do Paquistão ilibou-a de todas as acusações.

Asia Bibi e o seu marido estiveram sob proteção governamental, num lugar desconhecido.

OC

Paquistão: Supremo Tribunal absolve Asia Bibi acusada de blasfémia, sob protestos de radicais islamitas

Partilhar:
Share