Uma corrente de oração por toda a diocese da Guarda. É uma iniciativa que conta já com três anos, que o Departamento Diocesano da Pastoral Juvenil da Guarda propõe em alturas específicas do ano: Advento, Quaresma e Pentecostes. Nas suas paróquias, nos seus grupos, na sua comunidade e ou zonas pastorais, “pretendemos que os jovens se juntem para rezar, convidando todos os que quiserem e a partir de um esquema comum proposto pelo Departamento de Juventude”, assim explica à Agência ECCLESIA o Padre Jorge Castela, responsável pelo departamento. O feedback que têm recebido “tem sido bastante positivo”. O esquema foi enviado a todos os párocos e grupos de jovens paroquiais. Para o laço de ontem foi criado, inclusivamente um filme, disponível na página do departamento da juventude, para se poder incluir na vigília. A repetição da vigília em vários locais permitiu “criar uma corrente de oração entre todos os jovens, quer seja de uma forma reduzida ou com muita gente”, ao contrário se “propuséssemos uma oração assim num local específico, os participantes seriam poucos” explica o Pe Jorge Castela. E o curioso é o facto de “vários jovens manifestarem com agrado a sensação de rezar desta forma”. O laço de oração de ontem à noite teve uma particularidade. “Decidimos rezar pela vida, não tanto pelo referendo mas sim pela vida que tem sido muito posta em causa nos últimos tempos”, frisa o Pe Jorge Castela referindo-se à eutanásia, ao aborto, à pena de morte, à clonagem e “a outras situações éticas e morais que leva a vida a ser pouco valorizada”, acrescentou. O Departamento Diocesano da Pastoral Juvenil da Guarda está a pensar numa dinâmica para se envolver na Campanha pelo Não ao referendo sobre o aborto, marcado para 11 de Fevereiro. “Temos algumas estratégias, mas ainda não estão definidas”, aponta o responsável. “Já manifestámos na comunicação social aquilo que pretendíamos, que somos contra, mas pensamos ainda marcar algumas iniciativas”, explica. Mas antes de qualquer calendarização “pretendemos esclarecer as pessoas, para que antes de fazerem campanha estejam conscientes sobre o que está em causa”, sendo esta uma forma de mostrar o que os jovens da diocese pensam sobre esta questão.

Partilhar:
Share