Iniciativa da Fundação ajuda à Igreja que Sofre, «Um milhão de crianças rezam o terço pela Paz», marcada para 18 de outubro, já envolveu 136 países

Lisboa, 25 set 2021 (Ecclesia) – A iniciativa «1 milhão de crianças rezam o Terço pela Paz», marcada para o dia 18 de outubro, conta com a adesão de muitas instituições portuguesas sendo apoiada por diferentes meios de comunicação social.

“A iniciativa «1 milhão de crianças rezam o Terço pela Paz» conta já com a adesão do Santuário de Fátima, da Rede Mundial de Oração do Papa, do Apostolado Mundial de Fátima, do Secretariado Nacional da Educação Cristã, e ainda de grupos e movimentos”, informa um comunicado da Fundação Ajuda à Igreja (FAIS) que sofre, enviado hoje à Agência ECCLESIA.

Diferentes meios de comunicação social como Rádio e Televisão Canção Nova e Rádio Maria, “já manifestaram o apoio a esta iniciativa tal como a «Revista Audácia», dos Missionários Combonianos, e ainda a revista «Infância Missionária», das Obras Missionárias Pontifícias.

Também a Agência ECCLESIA é parceira na divulgação desta iniciativa que tem vindo a repetir-se nos últimos anos e, de forma crescente, vê instituições e movimentos da Igreja em Portugal a agregarem-se em torno deste dia.

Em 2020, crianças de 136 países juntaram-se neste dia, desde o Brasil, Síria, Iraque, México, Arménia, Papua Nova Guiné, Nigéria e República Democrática do Congo, num total de 509 mil crianças que estiveram a rezar pela paz; a estimativa é que este ano o número possa ser superior.

Esta iniciativa tem sido acompanhada pelo Papa Francisco que encorajou as crianças a rezar pelas “situações de crise causadas pela pandemia”.

O cardeal Mauro Piacenza, presidente internacional da FAIS afirmou a relevância desta iniciativa, este ano, ser inspirada na Carta Apostólica ´Patris corde` (com coração de Pai), escrita pelo Papa Francisco, e indicou o “exemplo” de São José, “Patrono Universal da Igreja”, para todos, de como “Deus pode tornar todas as coisas boas através da oração, da fidelidade e obediência à sua Palavra”.

“A campanha incentivará as crianças a rezarem de mãos dadas com Nossa Senhora e sob a proteção de São José”, sublinhou.

O responsável convidou ainda a olhar para a jornada de oração como uma oportunidade para “refletir sobre outras doenças” que marcam o mundo, que afetam e ameaçam o planeta.

“A fome, a pobreza, a corrupção, o terrorismo, a profanação da vida humana e a destruição da criação afectam milhões de pessoas”, explica o Presidente Internacional da FAIS.

A organização acredita que “a oração das crianças” pode trazer a “salvação de Deus para o mundo” e, inspirados nas palavras do Papa Francisco, afirmam que a expressão “o mundo mudará” quando “um milhão de crianças rezar o Rosário” tem ganho maior significado a cada ano.

LS

Partilhar:
Share