O novo reitor do Santuário de Fátima, Pe. Virgílio Antunes, já começou a pensar nas comemorações do centenário das aparições de Fátima e tem confiança que os processos de beatificação e canonização dos pastorinhos vão continuar. Em declarações à ECCLESIA realça que “já começámos a pensar no assunto e esboçar alguns elementos fundamentais, tanto ao nível do santuário como da cidade de Fátima”. E acrescenta: “gostaríamos de celebrar com dignidade todos esses acontecimentos que se vão avizinhar”. O Pe. Virgílio Antunes foi designado pelo Bispo de Leiria-Fátima, D. António Marto, para o cargo, após aprovação da Conferência Episcopal Portuguesa. “As expectativas são muitas porque é um trabalho muito desafiante e de muita responsabilidade” – afirmou. Tomará posse no início do próximo ano pastoral (Setembro) para um mandato de cinco anos e substitui Mons. Luciano Guerra. Já trabalhava no Santuário de Fátima, mas considera a “mudança um bocado grande” porque “exige muito das pessoas”. Em relação ao futuro, o Pe. Virgílio Antunes não está “preocupado com a imagem que interessa passar para fora”, mas que os peregrinos se “sintam bem neste local”. Acima de tudo que “fortaleçam a sua fé” – avança. Depois das grandes obras no Santuário, o novo reitor considera que este “está dotado das construções e infra-estruturas que se consideram razoáveis”. No entanto, as novas infra-estruturas e os dinamismos pastorais “têm de caminhar juntos”. E completa: “Sem as infra-estruturas não temos as condições necessárias para a pastoral”. Ao nível dos projectos pastorais, o Pe. Virgílio Antunes sublinha que o fundamental é o “acolhimento aos peregrinos”. O santuário tem de estar disponível “com todos os meios suficientes e necessários” para acolher as pessoas. A pastoral terá de passar também pelas seguintes dimensões: “sacramento da reconciliação, preservação do ambiente e privilegiar o silêncio”. Com o aproximar das celebrações do centenário das aparições, o novo reitor deseja que “a mensagem de Nossa Senhora para este tempo fosse mais conhecida e acolhida”. Todas as comemorações têm de “estar ao serviço da mesma finalidade”. Para estas comemorações, a autarquia também está envolvida. “A cidade já está bastante atenta à realidade do urbanismo e dos espaços de tranquilidade” – frisou. Notas Biográficas O P. Virgílio do Nascimento Antunes, de 46 anos de idade, é natural de São Mamede (Batalha) e presbítero da Diocese de Leiria-Fátima. Frequentou o Seminário Menor de Leiria e fez o Curso Filosófico-Teológico no Instituto Superior de Estudos Teológicos de Coimbra. Após ter completado os estudos, fez estágio pastoral nas paróquias de Marinha Grande e Milagres, em 1984 e 1985. Durante este tempo leccionou a disciplina de EMRC na Escola Preparatória da Marinha Grande. Depois da ordenação sacerdotal, em 1985, prestou serviço pastoral nas paróquias da Barreira e Cortes, até 1992. De 1985 a 1992 foi formador no Seminário Diocesano de Leiria, membro do Secretariado Diocesano da Pastoral Vocacional e Director do Pré-Seminário, tendo sido o responsável pela sua instituição e estruturação inicial, em 1988. Durante estes anos leccionou no ensino secundário as disciplinas de Religião, Português e História. De 1992 a 1996 realizou estudos de especialização em ciências bíblicas, no Instituto Bíblico de Roma e na Escola Bíblica de Jerusalém, tendo obtido o mestrado e licenciatura canónica em Exegese bíblica. A sua investigação de especialização foi sobre o Evangelho de São Lucas. Tendo regressado à Diocese de Leiria-Fátima, em 1996, foi nomeado Reitor do Seminário Diocesano de Leiria, funções que desempenhou até 2005. Durante estes anos implementou e desenvolveu o “Ano Propedêutico” para candidatos ao sacerdócio de diversas dioceses do País. Assumiu diversas tarefas no campo da formação de seminaristas em várias dioceses, através de cursos, conferências e retiros. Entre os anos 1985 e 1992, escreveu para o “Diário de Leiria” durante 70 edições, uma coluna semanal sobre a Palavra de Deus. No jornal diocesano “A Voz do Domingo” escreveu durante 30 edições um artigo sobre temática vocacional. Desde que se encontra ao serviço do Santuário de Fátima, tem colaborado regularmente no órgão oficial desta instituição “A Voz da Fátima”. De 2000 a 2005 foi Director do jornal semanário “O Mensageiro”, onde publicava uma coluna semanal de opinião. Ao longo dos anos do seu ministério sacerdotal acompanhou continuamente equipas de casais, integrou o Conselho Pastoral Diocesano, o Conselho Económico, a Comissão para a Formação Permanente do Clero e foi Secretário do Conselho Presbiteral. No campo académico tem exercido funções docentes na área da teologia bíblica, da língua grega e da língua e cultura hebraica. É docente, desde 1996, no Instituto Superior de Estudos Teológicos de Coimbra, onde integra a Direcção. Exerce ainda funções de docência no Centro de Formação e Cultura de Leiria, no Seminário Diocesano de Leiria e ocasionalmente na Universidade Católica Portuguesa. Tem proferido diversas conferências na área da sua especialidade em cursos, seminários e jornadas. Colaborou numa nova edição da Bíblia (“Bíblia dos Capuchinhos”), traduzindo do original grego e comentando a Carta aos Hebreus. Publicou alguns artigos de especialidade: “Jesus e o dom do Espírito” (Revista Communio), “A Criação na Bíblia” (Revista Dabar), “O Inferno na Mensagem de Fátima” (Publicações do CFC), “Seminário, casa e escola de comunhão” (Actas do Simpósio do Clero). Nos últimos anos tem elaborado os temas de estudo para o “Boletim da Mensagem de Fátima”. Desde 2005 é Delegado Episcopal para o Diaconado Permanente. Desde 2000 é Juíz do Tribunal Eclesiástico. É membro do Colégio de Consultores, desde 2001. Encontra-se ao Serviço do Santuário de Fátima, desde Setembro de 2005, onde é capelão. Aqui tem sido Director do Serviço de Peregrinos e do Serviço de Alojamentos, e membro do Serviço de Ambiente e Construções, membro do Conselho de Administração e membro do Conselho de Gestão Financeira.

Partilhar:
Share