Rita Sacramento Monteiro participou nos diálogos entre 3500 pessoas de todo o mundo e diz que o encontro está a transformar-se num movimento

Lisboa, 18 jan 2021 (Ecclesia) – Rita Sacramento Monteiro participou no encontro “A Economia de Francisco”, em finais de novembro de 2020, e afirma que os valores que estiveram em debate nessa iniciativa do Papa são uma resposta para o “ano difícil” que está a começar

“Estamos a entrar num ano difícil. As consequências da pandemia continuam a fazer-se sentir e vão-se intensificar ao longo deste ano. Vamos assistir a um desemprego maior e mais desigualdades e mais pobreza. É um ano difícil. Mas creio que, pela economia de Francisco e na linha dos valores da vida e da inclusão, temos de ter ânimo e esperança para continuar”, afirmou a coordenadora da equipa “A Economia de Francisco Portugal”.

Rita Sacramento Monteiro lembrou os desafios do Papa Francisco, no encerramento do encontro, os apelos que fez à necessidade de “iniciar processos”, de “abrir percursos, sem atalhos, e continuar com esperança”.

Nas “Novas Conversas na Ecclesia” desta segunda-feira, a participante no encontro “A Economia de Francisco” afirmou que o evento e o percurso que o preparou e permitiram o debate de ideias entre mais de 3500 pessoas de todo o mundo,  sem “receitas mágicas”, mas motivando a um “processo de treino do olhar”, para “descobrir caminhos novos”.

“O tempo que estamos a viver é uma oportunidade de podermos arriscar um olhar novo, de questionarmos perante as decisões difíceis que cada um vai ter de tomar nas famílias, nas organizações, a procurar fazer perguntas com os valores da fraternidade, da inclusão, do bem comum”, afirmou.

Rita Sacramento Monteiro referiu que a tarefa que cada um tem pela frente “parece impossível”, mas é necessário “agir como se não fosse”, na consciência e que todos os países estão “em desenvolvimento, em caminho”.

Como consequência do encontro, Rita Sacramento Monteiro referiu a publicação de uma “encíclica jovem” que tem por título “A Graça de Trabalhar”, resultado dos diálogos entre os participantes; anunciou que no dia 27 vai decorrer um debate por iniciativa da Capela do Rato entre um franciscano, dois participantes no evento e dois gestores; e disse que a “Rede Economia de Francisco Portugal” vai lançar um curso sobre a economia de Francisco que “ajude as pessoas a aprofundar os valores desta economia”.

Para Rita Sacramento Monteiro, o encontro “A Economia de Francisco” “não parou” e o encontro é cada vez mais “um movimento em marcha”.

De segunda a sexta-feira, a Agência Ecclesia publica “novas conversas” para partilhar sonhos e projetos de novas gerações para o ano 2021.

PR

Partilhar:
Share