D. Rui Valério visitou Estabelecimento Prisional Militar

Foto: Ordinariato Castrense

Lisboa, 17 dez 2019 (Ecclesia) – O bispo das Forças Armadas e de Segurança vai celebrar o Natal junto dos militares idosos e visitar os que se encontram hospitalizados procurando levar a esperança a quem está “em condição de fragilidade”.

“Quero transmitir a força que brota da fragilidade. Jesus que nasce e é bem o retrato da dificuldade que o ser humano sempre reservou para os mais débeis e fracos”, disse D. Rui Valério à Agência ECCLESIA.

Na tarde do dia 24 de dezembro o bispo do Ordinariato castrense vai estar com os militares hospitalizados no Hospital das Forças Armadas, em Lisboa, onde pretende “transmitir uma palavra de apoio e aconchego, rezar e agradecer”.

“O facto de viverem um momento de dificuldade, o Natal é uma celebração sempre renovada”, refere.

Ao final da tarde, D. Rui Valério ruma a Oeiras, ao Instituto de Ação Social das Forças Armadas, onde residem idosos e militares reformados dependentes para uma celebração da Eucaristia e uma ceia de Natal.

“Da fragilidade que os acomete, alguns estão acamados, com dificuldades de saúde muitas vezes criadas pela própria idade, mas nestes momentos se revelam força”, indica, sublinhando a mensagem que quer transmitir ao militares.

A celebração da Missa do Galo será presidida na igreja paroquial da Póvoa de Santa Adrião; já no dia 25 de dezembro, D. Rui Valério estará em Mafra, na escola das Armas, para a celebração do dia de Natal.

Esta terça-feira, o bispo das Forças Armadas esteve no Regimento de Infantaria 15 e no Estabelecimento Prisional Militar (EPM), em Tomar, para junto dos “residentes” mostrar que “Jesus não se esquece de quem está detido”.

“Tratou-se de um momento em que coloco a disponibilidade da escuta, para ouvir e atender, que eles se sintam livres para dizer o que lhes vai na alma. É um momento entre camaradas e amigos. Todos eles pertencem às Forças Armadas e de Segurança. Sabem que estão entre um igual que está ali para escutar e compreender”, observou.

Percorrendo vários quilómetros e dioceses, D. Rui Valério tem procurado “celebrar o Natal” junto dos militares que se encontram em diferentes locais e circunstâncias.

“O Natal é uma festa do nascimento de Jesus mas tem uma dimensão de família muito forte, até sublinhada pelo Papa Francisco. Para os miliares, em serviço ou destacamentos, celebra-se o Natal em família militar. Isto é algo assumido, não é por estarem afastados da família de sangue que não deixa de ser celebrado em família, neste caso, família militar”, explica.

Para o bispo das Forças Armadas e de Segurança, estes têm sido “dias muito cheios e ricos”.

“Cada visita, cada saída, representa uma nova página no meu álbum de existência. Tem sido uma graça que recebo”, afirmou D. Rui Valério.

LS

Partilhar:
Share