Campanha da fundação pontifícia ajuda oito países em quatro continentes

Lisboa, 19 dez 2019 (Ecclesia) – A Fundação Ajuda à Igreja que Sofre (AIS) está a dinamizar uma campanha de Natal onde convida a dar “um presente que permaneça – um presente de fé para os cristãos que sofrem”.

“O seu presente irá permitir-nos apoiar projetos significativos em todo o mundo e fazer a diferença na vida de muitas pessoas. Apenas com a sua contribuição poderemos proporcionar apoio espiritual e material àqueles que sofrem”, informa a AIS.

A fundação pontifícia explica que o presente “também pode ser oferecido a um familiar ou amigo” e apela a dar um presente que permaneça, “em vez de um presente material”.

Com esta campanha, a AIS está a apoiar oito países em diversos continentes: Na Ucrânia apoia seminaristas, no Iraque ajuda e reconstruir uma comunidade e na Síria famílias deslocadas, à Venezuela oferecem Missas, para as crianças de Cuba são pedidas Bíblias, no Brasil apoia-se a evangelização, por exemplo, os barcos são “meios fundamentais” na Amazónia, e no Uganda a ajuda é para refugiados, enquanto no Sri Lanka a pastoral familiar.

Para além destes países em particular, o secretariado português da AIS contextualiza que querem apoiar “mais de 1000 projetos” em “mais de 130 países”.

“Este Natal, deixe os cristãos que sofrem desembrulhar o seu presente de fé”, que “transforma vidas” ao apoiar os cristãos “que sofrem e são perseguidos”.

A Ajuda à Igreja que Sofre que apoiou 5019 projetos em 139 países, em 2018, foi criada em 1947 como organização católica de “ajuda para refugiados de guerra” e, em 2011, reconhecida como fundação pontifícia.

CB

Partilhar:
Share