Maria Durão destaca «desafio» apresentado pelo maior evento juvenil promovido pela Igreja Católica

Lisboa, 18 abr 2022 (Ecclesia) – Maria Durão, elemento do grupo musical ‘Simplus’, disse à Agência ECCLESIA que a sua nova música ‘Levanta-te’, no álbum com o mesmo nome, está “muito ligada” à dinâmica que a “Igreja vive” com JMJ 2023.

“A música foi feita a pensar nisso e é um desafio a nós mesmo e depois aos outros que nos ouvem”, referiu.

O sexto disco do grupo tem o propósito de acompanhar a preparação da edição internacional da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que Lisboa vai receber no próximo ano, de 1 a 6 de agosto, com o tema ‘Maria levantou-se e partiu apressadamente’, escolhido pelo Papa.

Maria Durão sublinha que esta é uma tentativa de estar em sintonia “com aquele que é o maior encontro de jovens do mundo”.

O grupo ‘Simplus’, constituído pelos primos Maria Durão e Luís Roquette, nasceu há 22 anos, no Estoril, e já tem editados seis discos.

Luís Roquette destacou que muitas músicas do novo álbum foram “inspiradas em pessoas e situações do dia-a-dia”.

“A Maria faz poemas e eu começo logo a imaginar uma música por detrás desse poema” contou, no Programa ECCLESIA emitido esta segunda-feira na RTP2.

Com uma faceta “um bocadinho de monge”, Luis Roquete considera-se tímido, por isso gosta de guardar “trabalhos na gaveta” e depois voltar a eles.

O trabalho discográfico ‘Levanta-te’, com 13 músicas, convida as pessoas que acompanharam o grupo ao longo deste percurso, que conta com mais de 20 anos de canções, “a prepararem-se para a JMJ Lisboa 2023”, salienta Maria Durão.

Luis Roquette confessa que “muitas vezes compõe às escondidas”, mas as músicas são feitas “a quatro mãos”.

“Vejo a música como oração” concluiu.

LS/LFS/OC

Partilhar:
Share