Dioceses de Lisboa e Aveiro completaram o pódio, com o segundo e terceiro lugar, e Coimbra recebeu o «Prémio Ser»

 

Aveiro, 09 mai 2022 (Ecclesia) – O Grupo de Jovens da Sé da Diocese de Lamego venceu a 13ª edição do Festival Nacional da Canção Mensagem, promovido pela Igreja Católica em Portugal, que se realizou este domingo, no Colégio de Nossa Senhora da Apresentação (Calvão).

“É um prémio muito importante para nós. Mais do que ganhar, o mais importante foi mesmo termos conseguido juntar jovens e fazer alguma coisa. Claro, ganhar sabe ainda melhor, e conseguimos mostrar a nossa fé e cantar a fé que temos, e partilhar com outros jovens”, disse Denise Pinto, do Grupo de Jovens da Sé, em declarações à Agência ECCLESIA.

A jovem da Diocese de Lamego, autora da letra da canção vencedora do Festival Nacional da Canção Mensagem, destaca que esta vitória também dá outra energia na preparação para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) de Lisboa, em agosto de 2023.

“A nossa intenção é sempre termos o máximo de gente possível, vivermos isto em grupo porque é muito mais intenso e faz muito mais sentido”, acrescentou Denise Pinto

João Pedro, também do Grupo de Jovens da Sé, é o autor da música e partilhou a “emoção muito grande” de vencer este evento, adiantando que independentemente do resultado o “objetivo principal” era “partilhar partituras com outros grupos”, os acordes, para que esta música fosse “tocada em outras paróquias, dioceses”.

“Lamego vive a fé muito intensamente e a música”, destacou.

Foto Agência ECCLESIA/HM

O Festival Nacional da Canção Mensagem 2022 teve como tema ‘Levanta-te’, e o pódio ficou completo com as Dioceses de Lisboa e Aveiro, respetivamente no segundo e terceiro lugar; O ‘Prémio Ser’ foi atribuído ao grupo da Diocese de Coimbra.

Esta iniciativa da juventude é promovida pela Igreja Católica em Portugal, de dois em dois anos, numa organização do Departamento Nacional da Pastoral Juvenil (DNPJ), e este ano contou com a colaboração da Diocese de Aveiro.

Em declarações à Agência ECCLESIA, o diretor do DNPJ salientou que o festival da canção tem um pouco da componente de concurso mas “a grande oportunidade, o grande objetivo do festival”, é que os grupos nas suas dioceses “aproveitem o facto de escreverem uma letra, uma música que sirva de evangelização”, e que através da música possam transmitir o Evangelho de Jesus Cristo.

“As dioceses vão procurando aproveitar essas músicas, não só as que vêm representar a diocese mas também as suas músicas que viveram nos festivais diocesanos, essa letra para depois quase formarem o seu caderno de músicas e a partir dai transmitir e evangelizar. Muitos dos contextos que temos aqui vêm dos contextos paroquiais, de um trabalho dos seus grupos de jovens e é uma boa representação dar sentido a todo este caminho”, explicou o padre Filipe Diniz.

Mariana Santos, do Grupo de Jovens de Santa Catarina, da Diocese de Leiria-Fátima, contou que não foi a primeira vez que participaram no festival diocesano mas, desta vez, fizeram “um bocadinho diferente”: “Juntamos o grupo todo, lemos as leituras que inspiraram esta canção, juntamos várias palavras e criamos a nossa música”.

Segundo a entrevistada, o Grupo de Jovens de Santa Catarina participa em várias atividades na paróquia e na diocese, e a música é importante porque “está sempre em todas as nossas atividades”, por isso, ganhar, não era o mais importante, mas participar, “passar a mensagem” e divertirem-se.

D. António Moiteiro, o bispo de Aveiro, realçou que o dia era de festa mas destacou o trabalho que foi feito com os vários grupos das dioceses participantes, no sábado, “com as reflexões que ajudaram a aprofundar a fé”.

“Embora sendo uma atividade muito própria do departamento da pastoral juvenil do país, não podemos dissociar a pastoral juvenil da caminhada para a Jornada Mundial da Juventude: É necessário toda a sensibilização, toda a movimentação, para que os jovens sintam que a fé, que é o encontro com Jesus Cristo, continua a ser válido esse encontro nos dias de hoje. Este é, a meu ver, o núcleo fundamental”, acrescentou, destacando a “participação muito significativa de jovens no festival”.

Os ‘Católicos Anónimos’, Grupo de Jovens de Vendas Novas, surgiu no âmbito da JMJ e foi com “muito entusiasmo” que representaram não só a Arquidiocese de Évora mas como caminho de preparação para a Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023.

“Estamos a tentar fazer uma preparação espiritual mas também uma preparação física, isto é, conseguir o melhor cenário para recebermos as pessoas: Não só recebermos Deus, e o Papa, e toda esta inspiração divina, mas também as pessoas e podermos proporcionar uma boa pré-jornada”, explicou Artur Papança.

O padre Leonel Abrantes, diretor do Departamento da Pastoral Juvenil da Diocese de Aveiro, manifestou a “enorme alegria” de serem parceiros deste encontro e explicou que querem “aproveitar uma linguagem que os jovens amam, que é do seu quotidiano, que é a música”.

“Sabemos que a música transmite mensagem e sentimento. Enquanto católicos achamos que podemos aproveitar esse dom dos jovens, que lhes é natural, para passarmos a mensagem cristã, de Jesus Cristo, àqueles que estão à nossa volta. A música pode ser um primeiro veículo de anúncio, de primeiro anuncio inclusivamente”, desenvolveu o sacerdote.

Foto Agência ECCLESIA/HM

“A música acaba por ser um elo que temos e nos fortifica. Ajuda a caminhar enquanto grupo e a crescer na fé” – Lês-a-lês, Paróquia de Fernão Ferro, Diocese de Setúbal.

Participaram no 13º Festival Nacional Jovem da Canção Mensagem 13 dioceses de Portugal continental; Esta iniciativa realiza-se habitualmente de dois em dois anos, a última edição foi em 2019, em Fátima, sendo suspensa devido à pandemia, em 2021.

HM/CB

Partilhar:
Share