Juventude, centro social e paroquial e vida comunitária são principais desafios deste recomeço do padre João Rosa

Foto: Diocese de Setúbal

Lisboa, 21 set 2018 (Ecclesia) – O padre João Rosa é o novo responsável da Paróquia do Divino Espírito Santo, no Montijo, Diocese de Setúbal, um serviço que marca o regresso do sacerdote à comunidade onde viveu, após a ordenação, há quase 17 anos.

“É um desafio novo para alguém que quase, praticamente, não tinha a experiência paroquial”, começou por referir em declarações à Agência ECCLESIA.

Após a ordenação sacerdotal, o padre João Rosa viveu um ano na Paróquia do Divino Espírito Santo, no Montijo, depois foi para o Seminário de São Paulo, em Almada; nos últimos 13 anos dedicou-se à saúde, como capelão do Centro Hospitalar de Setúbal.

“Agora é outra saúde, é outro tratamento, é pastoral paroquial com tudo o que envolve; tudo áreas diferentes”, acrescenta.

A “realidade paroquial” é um dos desafios no seu novo serviço, porque o Montijo tem “muitos grupos dos vários movimentos” que é necessário “enquadrar” e “criar unidade”.

“Parece que há alguma dispersão e é preciso criar fio-condutor”, sublinhou o padre João Rosa.

Em entrevista ao programa ‘Ecclesia’ na Antena 1 da rádio pública, o sacerdote disse que vai dar “bastante relevo aos jovens”, a quem sempre se dedicou “ao longo da vida de padre”, no seminário diocesano como formador e no hospital, onde “dava sempre uma atenção especial sobretudo aos novos profissionais e aos doentes mais novos”.

“A juventude é o futuro”, realçou, comentando que a diocese tem como tema de trabalho ‘os jovens, missão e vocação’ e no próximo biénio vai dedicar-se à juventude.

“É preciso ir à procura deles e mostrar que há um lugar para eles na comunidade, e por isso é um desafio”, observa o padre João Rosa, que antes de entrar para o seminário, aos 33 anos, foi professor de Geografia.

 

 

Na paróquia desde 2 de setembro, o sacerdote explicou que outro olhar a que têm “de estar atentos” é o Centro Social Paroquial Padre Manuel Gonçalves, para evitar que “possa haver problemas, seja a nível educativo, seja financeiro”.

A receção “foi um banho de multidão” e para além da paróquia na cidade do Montijo, o padre João Rosa assinala que tem “outra pertinho”, a de Sarilhos Grandes.

“Até me assustei um pouco, vamos ver se a expectativa não falha, foi com muita alegria, grandes expectativas, muita esperança. Foi uma grande festa a receção que me fizeram, que a comunidade me fez”, desenvolveu, agradecendo “a todos que estiveram envolvidos”.

D. José Ornelas, bispo diocesano, entregou as chaves das igrejas na celebração da tomada de posse do pároco e realçou que “o mundo está para além do quintal” de cada um e os cristãos têm de sair, “para estar ao serviço”.

“Acreditamos que Deus, no meio da comunidade, gera gente capaz de trabalhar na Igreja e no meio da cidade, por isso, um cristão tem que ser ativo no mundo e não se pode abster”, disse D. José Ornelas, divulga a diocese na internet.

Foto: Agência ECCLESIA/MC

O padre João Rosa refere que “a melhor preparação” para ser pároco das duas paróquias foi usufruir de “um mês completo de férias, um bom descanso”, como lhe recomendou o seu bispo.

Ao longo desta semana o programa ECCLESIA, na Antena 1 da rádio pública, tem apresentado reportagens dedicadas aos recomeços do mês de setembro, em diversas áreas, como a vida eclesial, familiar e no ensino.

SN/CB/OC

Recomeçar: assumir uma nova paróquia – Emissão 19-09-2018

 

 

 

Partilhar:
Share