Sacerdote destaca desafio de «caminhar ao lado das pessoas, ombro com ombro»

Fátima, 30 jul 2018 (Ecclesia) – O padre Adelino Ascenso foi reconduzido no cargo de superior-geral da dos missionários da Boa Nova (SMBN) para os próximos quatro anos, no decorrer dos trabalhos da XIII Assembleia Geral da Sociedade Missionária, que decorre em Fátima.

Em entrevista à Agência ECCLESIA, durante a reunião magna, o sacerdote realçou que “o paradigma da missão mudou, está a mudar”, pelo que o verbo “escutar” tem de ser cada vez mais uma atitude fundamental do trabalho com as comunidades, em Portugal e no exterior.

Mais do que “ensinar” o Evangelho ou a fé cristã, o trabalho de hoje da Igreja Católica, junto dos diferentes povos e culturas, tem de passar por “caminhar com as pessoas, ao lado delas”, mesmo “ombro com ombro”.

“Não é desfazermo-nos dos nossos conceitos culturais, da nossa carga cultural, porque isso caminha connosco, mas é termos a humildade de sentir que o outro tem algo para nos dizer, seja ele cristão, budista, ateu, agnóstico ou muçulmano, tenha a religião que tenha, isso tem que ser a postura desde o princípio”, salienta.

A nova Direção Geral inclui ainda os sacerdotes Marco Aurélio da Costa Casquilho (1.º assistente/vigário-geral); José Manuel da Costa Lima (2.º assistente); Capingana Marcolino (3.º assistente); Albino Manuel Valente dos Anjos (4.º assistente).

A Sociedade Missionária da Boa Nova, fundada em 1930 pelo Papa Pio XI como resposta a um apelo dos bispos portugueses, é uma sociedade de vida apostólica exclusivamente missionária e trabalha atualmente em quatro países, além de Portugal: Moçambique (desde 1937), Angola (1970), Brasil (1970) e Japão (1998).

Em fevereiro de 2017, um primeiro missionário proveniente de Moçambique foi enviado para o Japão, um desafio que o padre Adelino Ascenso, que trabalhou no Japão, reconhece como difícil, pela “barreira cultural que é completamente diferente”, mas também um processo extremamente aliciante para o futuro da SMBN.

“Temos de abrir-nos a novos horizontes, não quer dizer que vamos imediatamente abrir-nos a outros países, porque isso também depende do pessoal que temos, da disponibilidade que é bastante complexa, mas nós queremos ter essa abertura”, aponta aquele responsável.

Um dos acontecimentos que vai marcar a agenda desta sociedade de vida apostólica, nos próximos meses, é o Ano Missionário convocado pela Conferência Episcopal Portuguesa, que vai decorrer entre outubro de 2018 e outubro de 2019.

Para o padre Adelino Ascenso, esta será uma oportunidade para dar a conhecer mais às pessoas o trabalho que é feito, e para cativar novas vocações, também em relação com as várias congregações religiosas.

“Nós temos que trabalhar bastante intensamente nesse setor, mais do que a Pastoral Vocacional, a Animação Missionária. O país tem que dinamizar-se missionariamente, e isto também em relação com outros Institutos”, frisa o sacerdote.

A Assembleia-Geral da Sociedade Missionária da Boa Nova tem lugar no Seminário de São Francisco Xavier, em Fátima.

Os trabalhos começaram no dia 16 de julho e vão prolongar-se até aos primeiros dias de agosto.

No sentido de ajudar os missionários na sua reflexão, estão a marcar presença neste encontro diversos responsáveis e representantes da Igreja Católica em Portugal, como o  D. José Tolentino Mendonça e D. António Couto, membro também da SMBN.

JCP/OC

Partilhar:
Share