D. Vincenzo Paglia questiona políticas europeias

Foto: Lusa/EPA

Cidade do Vaticano, 19 nov 2021 (Ecclesia) – O presidente da Academia Pontifícia para a Vida, D. Vincenzo Paglia, lamentou hoje a morte de uma criança síria de um ano de idade, junto à fronteira com a Polónia, falando num “escândalo” para toda a Europa.

“Acredito que a morte desta criança é verdadeiramente um escândalo, que não pode deixar indiferente o povo do continente europeu”, destacou o responsável do Vaticano.

O menor terá morrido de frio, após ter ficado com a sua família durante vários dias na floresta bielorrussa, perto da fronteira com a Polónia.

Para o presidente da Academia Pontifícia para a Vida, esta morte mostra a “crueldade” de políticas que não conseguem encontrar solução para este “número muito modesto de homens, mulheres e crianças que procuram asilo e procuram conforto para o seu futuro”.

“São João Paulo II tinha enfatizado repetidamente a importância das raízes cristãs da Europa, um continente que se formou ao longo da história através de contínuas migrações. Hoje, renega não só a sua história, mas também a sua inspiração mais profunda, que é a judaico-cristã”, acrescentou.

Em entrevista ao portal de notícias do Vaticano, D. Vincenzo Paglia liga a morte desta criança síria à do pequeno Aylan, a criança encontrada sem vida numa praia turca.

Várias as organizações humanitárias, entre elas a Cáritas, estão envolvidas na ajuda de emergência aos refugiados na fronteira entre a Polónia e a Bielorrússia.

OC

Partilhar:
Share