Cardeal Pietro Parolin sublinha preocupação do Papa e da Santa Sé com escalada de violência na região

Cidade do Vaticano, 18 mai 2021 (Ecclesia) – O secretário de Estado do Vaticano apelou hoje a um cessar-fogo “urgente” entre Israel e Palestina, sublinhando a preocupação do Papa e da Santa Sé com escalada de violência na região.

“Este conflito está a provocar ruína e morte”, disse o cardeal Parolin.

O responsável falava aos jornalistas, à margem da apresentação do livro dedicado a Mario Agnes, ex-diretor do jornal do Vaticano, ‘L’Osservatore Romano’, em Roma.

D. Pietro Parolin evocou a mensagem lançada pelo Papa no último domingo, pedindo a atenção do mundo, sobretudo para as “crianças mortas”.

“A nossa preocupação é a do Santo Padre e o nosso compromisso o de fazer todos os possíveis para conter o conflito”, destacou.

O secretário de Estado do Vaticano considera que não estão reunidas as condições para uma mediação da Santa Sé, mas mostrou-se disponível para “qualquer ação que possa ajudar, em primeiro lugar, a um cessar-fogo”.

“Ponhamos fim a este conflito, para que se possa chegar a uma resolução, de acordo com a solução dos dois Estados”, acrescentou.

O tema vai ser discutido, no próximo sábado, num encontro entre o Papa e a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

“Teremos de unir forças para tentar conter esta crise”, aponta o cardeal Parolin.

O jornal do Vaticano decidiu publicar, na primeira página da sua edição semanal portuguesa e na edição diária de terça-feira, a foto de duas crianças vítimas do conflito na Terra Santa.

“Uma foto chocante, que reafirma as palavras do Papa Francisco de que os menores são as vítimas indefesas e inocentes de toda as guerras e toda a violência”, explicar a Direção da publicação, assumindo a intenção de apresentar a imagem como “um murro no estômago”.

Os combates começaram a 10 de maio, após semanas de tensão entre israelitas e palestinianos em Jerusalém Oriental, que culminaram com confrontos na Esplanada das Mesquitas, junto ao Muro das Lamentações.

Os bombardeamentos israelitas contra a Faixa de Gaza provocaram a morte a cerca de 200 palestinos, incluindo 59 menores; do lado israelita foram contabilizadas 10 mortes, entre elas a de dois menores.

Uma mãe e quatro filhos foram mortos durante um ataque aéreo que atingiu edifícios residenciais no campo de refugiados de Shati, na Faixa de Gaza, perto de uma clínica da Cáritas Jerusalém, atualmente fechada por causa dos bombardeamentos.

A organização católica sublinha a falta de “recursos adequados para fornecer assistência médica, alimentos e outros produtos básicos para as populações afetadas” pelo conflito, informa o portal ‘Vatican News’.

A Cáritas fala no risco de uma crise humana, com cerca de 40 mil palestinos deslocados e 2500 pessoas que perderam as suas casas.

A posição da Santa Sé sobre o conflito entre Israel e a Palestina passa pela solução de dois Estados para dois povos, sublinhando o direito destas populações de viver em paz e segurança, dentro das fronteiras reconhecidas pela comunidade internacional.

OC

Vaticano: Papa pede fim de «espiral de morte e destruição» entre Israel e Palestina (c/vídeo)

Partilhar:
Share