Responsáveis destacam tempos «excecionais, marcados pela pandemia»

Jerusalém, 23 dez 2020 (Ecclesia) – Os chefes das Igrejas e comunidades cristãs em Jerusalém (Terra Santa) escreveram uma mensagem sobre o mistério da Natividade do Senhor, em tempos de pandemia, deixando uma palavra de esperança

“A presença de Deus connosco é uma fonte de encorajamento e consolo em todas as circunstâncias, especialmente nestes tempos excecionais marcados pela pandemia da COVID-19, a crise económica, tantas injustiças e o aumento da violência contra os vulneráveis e fracos”, sublinha o documento.

Os responsáveis realçam que a luz do Natal ajuda “a viver os acontecimentos presentes” e o “dom de Deus para estes tempos difíceis, traz esperança, renovação e encorajamento a toda a criação”, lê-se no site ‘Vatican News’.

Os patriarcas e chefes das Igrejas de Jerusalém expressam a sua solidariedade e proximidade “a todas as pessoas no mundo inteiro afetadas pela pandemia e as suas implicações em diferentes níveis, particularmente à população de Belém e seus arredores”.

O documento inclui uma referência ao recente ato incendiário perpetrado a 4 de dezembro, em Jerusalém, contra a Basílica da Agonia, junto ao Monte das Oliveiras.

“A recente profanação da Igreja da Agonia em Jerusalém não nos desencorajará de continuar a nossa missão pacífica e testemunho cristão”, concluem os signatários.

O patriarca latino de Jerusalém, D. Pierbattista Pizzaballa, que recuperou da Covid-19 e vai poder presidir às celebrações de Natal em Belém, assinala na sua mensagem aos católicos da região que a pandemia “marcou a vida civil e religiosa”, convidando a descobrir os “sinais” que Deus vai deixando.

LFS/OC

Partilhar:
Share