Instituição quer ajudar profissionais numa abordagem mais rigorosa da temática

Foto: João Lopes Cardoso

Lisboa, 05 jan 2022 (Ecclesia) – A coordenadora da formação avançada ‘Jornalismo e Religiões’, da Universidade Católica Portuguesa (UCP), disse à Agência ECCLESIA que esta iniciativa quer ajudar os profissionais a ter uma abordagem mais “rigorosa, completa e correta” sobre a temática.

“Achamos que era o momento de promovermos dois caminhos, por um lado permitir que o jornalismo que se faça sobre esta temática seja mais rigoroso e por outro que permita ao público em geral aceder a uma informação mais completa e mais correta” disse Catarina Duff Burnay, entrevistada de hoje no Programa ECCLESIA (RTP2).

A Faculdade de Ciências Humanas (FCH) e a Faculdade de Teologia (FT) da UCP vão realizar esta formação avançada, a partir de 4 de fevereiro, no contexto da Jornada Mundial da Juventude Lisboa 2023.

A UCP presta serviços de “formação, qualificação e investigação” à comunidade e considerou que “nesta área se justificava”, disse Nuno Estêvão Ferreira, também coordenador desta formação.

Como faz parte da estratégia da UCP promover “a cooperação entre as suas unidades internas”, existiu aqui “uma oportunidade que foi a Jornada Mundial da Juventude”, referiu Nuno Estêvão.

Para Catarina Burnay existe “uma particularidade”: embora o motivo seja a JMJ 2023, o curso chama-se ‘Jornalismo e Religiões’, com cinco módulos e os três primeiros pretendem dar pistas “de leitura e descodificação sobre as religiões no mundo”.

Na abordagem sobre o catolicismo, o programa centra-se “nos pontificados pós-guerra” e termina num módulo específico ligado “à organização da Jornada Mundial da Juventude”, frisou a coordenadora.

“A religião está sempre na agenda mediática e, às vezes, destaca-se por alguma visita papal”, acrescenta.

A formação avançada está direcionada para profissionais da comunicação social e outros profissionais com interesse na área porque “as religiões estão presentes de forma bastante ativa na sociedade e no jornalismo”, indica Catarina Burnay.

Um curso que reflete sobre “a visão plural e que abarca a diversidade das diferentes confissões religiosas”, realça Nuno Estêvão.

A FCH e a FT da UCP consideraram ser determinante, por parte dos profissionais do setor, nomeadamente dos jornalistas, conhecer melhor as características e linguagens próprias das religiões, garantindo uma preparação adequada para o desenvolvimento de abordagens jornalísticas coerentes e conhecedoras das especificidades das diferentes comunidades religiosas”, refere a cocoordenadora do programa.

A próxima edição internacional da Jornada Mundial da Juventude vai ter lugar em Lisboa, de 1 a 6 de agosto de 2023 e o coordenador da Formação Avançada, Nuno Estêvão Ferreira, afirma que o programa “é uma mais-valia” para os profissionais da comunicação.

“Uma vez que o lugar das instituições e dos agentes religiosos no espaço público está em processo de constante transformação, articulando-se com alterações globais em curso, as múltiplas representações mediáticas devem ser estudadas, trabalhadas e discutidas”, explica.

A formação avançada em ‘Jornalismo e Religiões’ vai ser lecionada por um corpo docente com “larga experiência nas áreas da comunicação, da teologia e na relação entre ambas”.

“Um conjunto de perspetivas o mais abertas possíveis sem quaisquer tipo de acantonamentos”, sublinhou Nuno Estêvão.

O curso tem a duração de 51 horas; o programa vai funcionar em horário pós-laboral e modelo presencial.

PR/LFS/OC

Partilhar:
Share