Comissões Episcopais das Comunicações Sociais reuniram-se em Lisboa

Foto: Agência ECCLESIA

Lisboa, 09 jun 2021 (Ecclesia) – As Comissões Episcopais das Comunicações Sociais de Portugal e Espanha destacaram hoje em Lisboa o impacto da pandemia na organização da próxima Jornada Mundial da Juventude (JMJ) que vai decorrer na capital portuguesa, em 2023.

“A pandemia tem e continuará a ter grande impacto na organização de qualquer evento”, sublinham os participantes, no comunicado final do Encontro Ibérico anual, que decorreu desde segunda-feira.

A JMJ 2023 esteve no centro da reflexão dos bispos presentes, que abordaram “os desafios que um encontro do Papa com os jovens de todo o mundo provoca na Igreja e na sociedade, onde a comunicação tem um papel fundamental”.

“A dimensão global da JMJ ultrapassa as fronteiras de uma diocese de acolhimento, implica todo o país e a Igreja no mundo”, acrescenta a nota.

Os bispos de Portugal e Espanha destacam que, nestes eventos, a comunicação tem um papel “fundamental”, dado  que “permite difundir as mensagens propostas pelo Papa, fomentar o encontro entre os jovens de todo o mundo e facilitar o trabalho interno das diversas equipas que participam na organização”.

“A recente experiência da vida em Igreja faz pensar que a dimensão digital terá um papel central na realização da próxima Jornada, criando novas possibilidades de peregrinação e participação”, acrescentam, numa referência às repostas criadas durante os confinamentos.

Os bispos das duas comissões destacaram que as ferramentas digitais são “o ambiente de comunicação dos jovens hoje e estão em contante evolução”.

O encontrou apontou à necessidade de uma “autêntica participação de todos” e de motivação dos profissionais e voluntários, para promover “trabalho em equipa e espírito de verdadeira união”.

A JMJ tem uma capacidade extraordinária de unir sensibilidades distintas e as mais diversas instituições e organizações de um país num grande projeto capaz de gerar esperança e transformar as pessoas e o lugar que habitam”.

O comunicado considera que encontro do Papa com jovens de todo o mundo é “uma oportunidade única para descobrir, hoje, Cristo Vivo, o acolhimento da Igreja e o valor do encontro pessoal com outros jovens”.

“A Igreja tem por missão levar o Evangelho a todas as pessoas e a realização da JMJ motiva os jovens a serem os protagonistas do anúncio da Boa Notícia a outros jovens.

O encontro iniciou com a reflexão proposta pelo presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023, D. Américo Aguiar, e a intervenção de Marieta de Jaureguizar, diretora de imprensa na JMJ Madrid 2011.

No decorrer dos trabalhos esteve muito presente a convocatória do Papa Francisco para um rosto sinodal da Igreja, em sintonia com o próximo Sínodo dos Bispos, “que desafia também todos os que trabalham na comunicação social”.

Os responsáveis ibéricos assumem a intenção de manter o trabalho em proximidade, no futuro, tendo como horizonte a celebração da Jornada Mundial da Juventude em Lisboa.

OC

Partilhar:
Share