Última noite de vigília presidida por D. António Montes

Lisboa, 20 mai 2011 (Ecclesia) – Esta noite realiza-se no Mosteiro dos Jerónimos a última vigília de oração que prepara a beatificação da Madre Maria Clara do Menino Jesus, marcada para este sábado, no estádio do Restelo, em Lisboa.

A Igreja Santa Maria de Belém no Mosteiro dos Jerónimos, um lugar emblemático da cidade próximo do Tejo, foi o local escolhido para evocar o envio das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras pela Ir. Maria Clara para outros países, em evangelização.

Presidida por D. António Montes Moreira, bispo de Bragança-Miranda e membro da comissão histórica do processo de canonização da Madre Maria Clara, a vigília será essencialmente constituído por salmos e leituras em ambiente de agradecimento.

Também nesta noite são lidos alguns pensamentos retirados dos escritos da futura beata refletindo a sua entrega a Deus, no serviço concreto aos outros.

Esta vigília encerra o tríduo preparatório para a beatificação, três dias em que os crentes foram convidados a momentos fortes de oração, norteados pelo lema “Maria Clara, um rosto de ternura e da misericórdia de Deus”.

A futura beata Libânia do Carmo Galvão Mexia de Moura Telles e Albuquerque nasceu na Amadora, em Lisboa, a 15 de junho de 1843, e recebeu o hábito de Capuchinha, em 1869, escolhendo o nome de Irmã Maria Clara do Menino Jesus.

A religiosa foi enviada a Calais, França, a 10 de fevereiro de 1870, para fazer o noviciado, na intenção de fundar, depois, em Portugal, uma nova Congregação, pelo que abriu a primeira comunidade da CONFHIC em S. Patrício – Lisboa, no dia 3 de maio de 1871 e, cinco anos depois, a 27 de março de 1876, a Congregação é aprovada pela Santa Sé.

A «mãe Clara», como é popularmente conhecida, morreu em Lisboa, no dia 1 de dezembro de 1899, e o seu processo de canonização viria a iniciar-se em 1995.

 SN

Partilhar:
Share