D. Nuno Brás falou em dom de «abundância» para a vida no arquipélago

Campanário, Madeira, 16 fev 2020 (Ecclesia) – O bispo do Funchal presidiu hoje à Missa no Dia Diocesano da Família, pedindo aos presentes que mostrem o rosto de uma Igreja que está ao lado de quem sofre.

“O rosto de uma Igreja que não desiste do outro, do próximo — o rosto de uma Igreja que se aproxima e que se torna próxima e que nos ajuda a ser próximos uns dos outros. O rosto de uma Igreja fraterna, quer dizer: formada por irmãos que reconhecem e vivem a vida do Pai”, referiu D. Nuno Brás, numa homilia enviada à Agência ECCLESIA.

A celebração, na igreja paroquial do Campanário, contou com a bênção de mais de 200 casais que celebram bodas matrimoniais.

“Damos graças a Deus por tudo aquilo que estas famílias têm significado e têm realizado: para os seus filhos, netos, e demais familiares; para as suas terras; para as suas comunidades paroquiais; para a nossa diocese e para a sociedade madeirense no seu todo. Como seriam diferentes a Igreja e a sociedade madeirense se estas famílias não existissem”, declarou o bispo do Funchal.

Segundo o responsável católico, estas famílias mostram “o rosto de uma Igreja diocesana que é família e que quer ser cada vez mais família”.

D. Nuno Brás deixou a todos um apelo à “abundância” humana, no arquipélago.

“A nossa Ilha é abundante em humanidade; é abundante em acolhimento; é abundante em amor, em entrega. E essa característica depende, em grande parte, da vida das nossas famílias — porque é na família que se aprende essa abundância de generosidade e de amor. Por isso, queremos pedir-vos, hoje e sempre, esta abundância cada vez maior”, indicou.

OC

Partilhar:
Share