Montante vai ajudar população de Cabo Delgado, afetada pela violência

Foto: Lusa/EPA

Luanda, 17 jul 2021 (Ecclesia) – O presidente da República Portuguesa anunciou hoje que vai doar o montante do “Prémio José Aparecido de Oliveira” da CPLP à Caritas de Moçambique para apoiar organizações não-governamentais que operam em Cabo Delgado.

“Tenciono doar o valor deste prémio à Caritas de Moçambique para que seja distribuído pelas organizações não-governamentais que em Cabo Delgado tanto fazem, e em condições tão difíceis, pela verdadeira e duradoura paz social com ilimitada devolução humanitária”, disse Marcelo Rebelo de Sousa na sessão de encerramento da XIII cimeira da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), em Luanda.

Instituído em 2011 e de cariz bienal, o “Prémio José Aparecido de Oliveira” promove a atribuição de um diploma de mérito e de uma prestação pecuniária de 30 mil euros, pretendendo “reconhecer e homenagear personalidades e instituições que se distingam na defesa, valorização e promoção dos princípios, valores e objetivos da CPLP”.

O chefe de Estado português, citado pela Lusa, mostrou-se “sensibilizado” por ter sido escolhido para receber o “Prémio José Aparecido de Oliveira”, falecido em 2007, que foi diplomata e ministro da Cultura do Brasil.

“Para além de uma enorme honra, este prémio representa também uma enorme responsabilidade no sentido de continuarmos juntos a pugnar pela valorização da língua portuguesa e pela promoção dos princípios e objetivos da CPLP”, acrescentou Rebelo de Sousa.

A Cáritas Portuguesa saudou esta noite a decisão do presidente da República, quanto ao destino do prémio monetário, considerando que a mesma reconhece o “trabalho que tem vindo a ser feito por todas as organizações que estão no apoio direto às vítimas” do conflito em Cabo Delgado, norte de Moçambique.

“É uma boa noticia e revela grande generosidade por parte do presidente Marcelo, aliás confirma e reforça aquilo que tem sido a sua posição sobre Cabo Delgado”, refere Rita Valadas, presidente da organização católica, em comunicado divulgado online.

A Cáritas aponta à “grande reconhecimento da urgência em se encontrar uma resolução para este conflito”, no sentido de dar aos mais de 800 mil deslocados a possibilidade de “retomarem as suas vidas”.

Marcelo Rebelo de Sousa recebeu no início de julho representantes do “Movimento por Cabo Delgado”, um conjunto de organizações da sociedade civil portuguesa que trabalham na defesa das populações daquele território moçambicano.

Desde 2019, a Cáritas Portuguesa tem apoiado a população de Moçambique tanto na resposta ao impacto dos Ciclones Idai e Kenneth,como no apoio de emergência alimentar e reconstrução de meios de vida dos deslocados de Cabo Delgado.

A Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) comemorou hoje em Luanda 25 anos de existência.

Na XIII Conferência de Chefes de Estado e de Governo, os nove países que compõem esta comunidade assinaram um acordo de mobilidade, que permitirá a circulação a profissionais, estudantes e empresários.

OC

Moçambique: Presidente da República Portuguesa recebeu organizações empenhadas na defesa de Cabo Delgado

Partilhar:
Share