Cidade do Vaticano, 31 out 2019 (Ecclesia) – O Papa Francisco decretou que a celebração da Bem-Aventurada Virgem Maria do Loreto fosse inscrita como “memória facultativa” no Calendário Romano Geral, a 10 de dezembro.

“Essa celebração ajudará todos, especialmente as famílias, os jovens, os religiosos, a imitar as virtudes da perfeita discípula do Evangelho, a Virgem Maria que concebendo o Cabeça da Igreja acolheu também a nós consigo”, informa a Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, da Santa Sé.

“A veneração pela Santa Casa do Loreto tem sido, desde a Idade Média, a origem daquele peculiar santuário frequentado, ainda hoje, por numerosos fiéis peregrinos para alimentar a própria fé no Verbo de Deus feito carne para nós”, refere o decreto, divulgado pelo portal ‘Vatican News’.

O documento explica que o santuário mariano “recorda o mistério da Encarnação e impulsiona todos” os que o visitam a considerar “a plenitude do tempo, quando Deus mandou o seu Filho, nascido de mulher, e a meditar tanto as palavras do Anjo que anuncia o Evangelho, quanto as palavras da Virgem que responde ao chamamento divino”.

O decreto da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos termina com a informação que a nova memória deve constar em todos os calendários e Livros litúrgicos para a celebração da Missa e da Liturgia das Horas, assinala ainda o ‘Vatican News’.

O Papa convocou um Jubileu Lauretano para todos os que viajam de avião de 8 de dezembro deste ano a 10 de dezembro de 2020; a celebração da Porta Santa do Jubileu, na solenidade da Imaculada Conceição, vai ser presidida pelo secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin.

Esta sexta-feira, o regente da Penitenciaria Apostólica, D. Krzysztof Nykiel, vai presidir à Missa da convocação do Ano Santo, que vai celebrar os 100 anos da proclamação da Virgem Lauretana, às 10h00 locais (menos uma hora em Lisboa), na Basílica da Santa Casa de Loreto.

Francisco visitou o santuário italiano do Loreto no dia 25 de abril e ali assinou a Exortação apostólica pós-sinodal ‘Christus Vivit’ (Cristo Vive), publicada na sequência do Sínodo dos Bispos que decorreu em outubro de 2018.

CB/OC

Partilhar:
Share