«Estamos novamente em perigo», disse D. Rui Valério na Capela de Nossa Senhora da Saúde

Foto www.visitlisboa.com, Capela de Nossa Senhora da Saúde

Lisboa, 10 mai 2020 (Ecclesia) – O bispo das Forças Armadas e das Forças de Segurança presidiu hoje à Missa na Capela de Nossa Senhora da Saúde, “intercessora da cidade” na “tenebrosa peste” do século XVI, e pediu proteção para humanidade na atual “terrível pandemia”.

“Também hoje, Nossa Senhora da Saúde, a humanidade se sente profundamente ameaçada por causa da terrível pandemia que a todos tem perturbado. Senhora, a humanidade sente-se perdida e transtornada, vem, por isso, em nosso auxílio, intercede mais uma vez por cada um de nós e por toda a humanidade”, afirmou D. Rui Valério na homilia da Missa.

O bispo da Diocese das Forças Armadas e das Forças de Segurança recordou “os distantes e dramáticos anos de 1569 e 1599, quando Lisboa caiu vítima da tenebrosa peste”, disse que a cidade de Lisboa “encontrou refúgio e salvação” na intercessão à Senhora da capela situada no Bairro da Mouraria, e “o flagelo cessou e a bonança voltou”.

“Ó Maria, Tu és o milagre da medicina divina que cura as nossas feridas do corpo e da alma e nos convoca a todos para sararmos uns aos outros as feridas que nos afligem. Com o bálsamo da Tua doçura maternal suavizas as mágoas que as quedas ao longo das estradas impérvias da vida provocaram em nós. Conforta-nos, protege-nos, vem em nosso auxílio e socorre-nos”, suplicou.

D. Rui Valério

D. Rui Valério disse que, como no século XVI, as mulheres e homens deste tempo “estão novamente expostos ao perigo”, pedindo por isso novamente intercessão ao “precioso e materno auxílio” de Nossa Senhora.

“Como nesse século XVI vieste em socorro da amada cidade de Lisboa para a salvar da peste devastadora, em sinal de atenta escuta das preces dos Artilheiros, hoje rogamos-Te, Nossa Senhora da Saúde, intercede por nós junto do coração misericordioso de Deus nosso Pai, pois estamos novamente em perigo”, afirmou.

“Não permitas que sejamos privados de paz em nossos corações, que nossas almas sejam atormentadas, que estejamos privados de vida”, disse D. Rui Valério.

O bispo das Forças Armadas e das Forças de Segurança lembrou que “a humanidade tem dificuldade em derrotar esse misterioso ser” que motivou o isolamento social, e tem “abalado a saúde de tantas mulheres e tantos homens, muitos deles vítimas de atrozes sofrimentos e até da morte”.

“Torna-nos solidários com os outros, pois ninguém se salva sozinho e faz arder no nosso coração esse amor que o Teu filho Jesus anunciou e viveu”, sublinhou.

“Atende, Mãe gloriosa, como tens sempre atendido, a prece que hoje Te elevamos: que sejamos protegidos de todo o mal. Concede-nos, a nós e à nossa cidade, saúde, paz e esperança”, suplicou D. Rui Valério

Construída em 1505 pelos artilheiros da cidade, a capela estava situada no exterior das muralhas, tendo por padroeiro São Sebastião, e foi o local de intercessão do povo pelo fim da peste, onde o povo venerou depois a imagem de Nossa Senhora da Saúde.

PR

Partilhar:
Share