D. Manuel Clemente participou em encontro promovido por movimentos católicos para preparar Sínodo diocesano

Lisboa, 06 mar 2015 (Ecclesia) – O cardeal-patriarca de Lisboa afirmou à Agência ECCLESIA que a Igreja Católica tem de saber ouvir “outras vozes” para poder propor o cristianismo à cidade.

"É importante escutar vozes que, não sendo confessionais, conhecem a cidade e as suas dinâmicas sociais, económicas e culturais", sublinhou D. Manuel Clemente, após participar esta quinta-feira na terceira sessão da iniciativa ‘Escutar a Cidade’, um ciclo de palestras promovido por movimentos católicos.

As várias conferências têm tido a participação de especialistas fora do âmbito eclesial, sobre questões da sociedade, da economia ou da cultura.

Marcado para o final de 2016, o Sínodo Diocesano de Lisboa tem como tema ‘O sonho missionário de chegar a todos’, inspirado na exortação apostólica do Papa Francisco ‘A alegria do Evangelho’.

O patriarca de Lisboa revela que "neste momento há mais de 20 mil pessoas envolvidas em mil grupos distintos, que trabalham na preparação do Sínodo diocesano".

Segundo o cardeal português, o desafio passa por adaptar a mensagem do Papa à realidade atual.

"Como é que o sonho missionário e bonito de chegar a todos, que o Papa nos apresenta, se concretiza nestas circunstâncias próprias do Patriarcado de Lisboa? É por isso que esta iniciativa é muito bem-vinda", diz D. Manuel Clemente.

Um dos conferencistas desta terceira sessão foi o geógrafo João Ferrão, que destacou a importância dos valores, afirmando que estes não são propriedade de partidos políticos ou de religiões.

"É a partir desses valores que nós produzimos um novo tempo e um novo espaço", precisou.

Olga Pombo, doutora em História e Filosofia da Educação pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, partilhou a sua preocupação pela incapacidade da Escola em cumprir o se dever.

"Estamos num clima de atribuir à escola funções e mais funções, ao ponto dela esquecer a sua função principal que é ensinar", lamentou.

Cerca de 30 movimentos, comunidades e organizações católicas estão juntar esforços até junho na iniciativa ‘Escutar a cidade’.

Jorge Wemans, que integra o Movimento dos Profissionais Católicos (Metanoia), não esconde a satisfação pela adesão que se verifica até ao momento: "Há uma grande disponibilidade de pessoas não católicas a virem refletir connosco e a virem partilhar as suas dúvidas as suas esperanças, os seus campos de investigação, e isso tem sido muito rico".

"A cidade também percebeu que estava a ser escutada”, assinala Jorge Wemans para quem o espírito desta iniciativa se enquadra no caminho de preparação para o Sínodo da Diocese de Lisboa.

O programa do projeto prevê ainda encontros a 16 de abril, 14 de maio e 18 de junho, sempre no Fórum Lisboa, antigo cinema Roma, entre as 19h00 e as 21h00.

Os contributos saídos deste encontros vão ser entregues ao secretariado do Sínodo Diocesano de Lisboa.

HM/OC

Partilhar:
Share