Presidente da Comissão Laicado e Família e coordenadora da CNAL perspetivam IV Encontro Nacional de Leigos

Viseu 18 nov 2017 (Ecclesia) – A presidente da Conferência Nacional das Associações de Apostolado dos Leigos (CNAL) disse hoje, em Viseu, que a comunhão entre os leigos depende do conhecimento e da “estima recíproca” e é necessária para “construir uma sociedade melhor”.

“Só a experiência concreta de nos conhecermos cria condições para a estima recíproca, para a amizade, para a amizade e para o amor”, afirmou Alexandra Viana Lopes na abertura do IV Encontro Nacional de Leigos (ENL).

Para a presidente da CNAL, o encontro entre os leigos permite o conhecimento, que é condição para “arriscar, de forma real” a comunhão entre todos, que assinale “a força” do que une como “superior” ao que divide.

“Só a comunhão abre caminhos amplos para servir a pessoa inteira e construir uma sociedade melhor”, acrescentou.

Após um ciclo de cinema e um concerto de Samuel Úria, o IV Encontro Nacional de Leigos decorre na cidade de Viseu com a realização em torno do tema “Este é o tempo”.

Na comunicação que fez na sessão de abertura, o presidente da Comissão Episcopal Laicado e Família afirmou que o ENL é uma ocasião para “despertar para um empenho conjunto” de todos os leigos, contribuindo para “transformação e a santificação” do mundo.

“O tema deste Encontro vem lembrar-nos isso e despertar para um empenho conjunto, na comunhão da diversidade das vocações e condições de vida, dos ministérios e dos carismas, dando cada um o seu próprio contributo para o alcançar”, disse D. Joaquim Mendes.

O bispo auxiliar de Lisboa lembrou que “o ambiente e o meio específico da vocação dos leigos é o mundo” e “estar nele como fermento, contribuindo para a sua transformação e santificação, manifestando Cristo, antes de mais pela irradiação da fé e da esperança; do amor e das obras do Amor”.

“Este é o tempo de assumir esta missão, é o tempo de levar o Evangelho ao mundo”, sublinhou.

Cerca de 600 participantes estão no Encontro Nacional de Leigos para ouvir experiências sobre o tema “Este é o tempo – para esperar contra toda a esperança, para trabalhar pela justiça e pela paz, para amar as pessoas, para amá-las uma a uma”.

Durante a manhã, decorrem dois painéis com conferencistas internacionais e, de tarde, dois ciclos de ateliês temáticos sobre “Fé e sentido para a vida”, Espiritualidade”, “Território, “Família”, “Trabalho” e “Cidadania”, em vários auditórios da cidade de Viseu.

O IV Nacional de Leigos, organizado pela Conferência Nacional das Associações de Apostolado dos Leigos (CNAL), termina com a Missa, na Sé de Viseu, presidida por D. Ilídio Leandro, bispo diocesano.

PR

Partilhar:
Share