Associação sublinha que sem debate na campanha, Parlamento perde «legitimidade» para decidir

Foto: Lusa

Lisboa, 01 out 2019 (Ecclesia) – A Associação dos Juristas Católicos (AJC) pediu, em comunicado, que os partidos políticos que concorrem às próximas eleições legislativas apresentem com “clareza” as suas posições em temas como eutanásia ou liberdade de ensino.

“Numa sã democracia, nenhuma força política poderá reclamar a legitimidade do voto para decidir questões éticas mais que previsíveis relativamente às quais não tomou posição perante os eleitores”, assinala o documento, enviado à Agência ECCLESIA.

Para a organização católica, os partidos devem deixar claros quais os seus “princípios éticos fundamentais”.

“Verificamos que nem sempre isso acontece e que os debates se centram em questões pragmáticas de menor importância nessa perspetiva, senão mesmo em questões menores, de duvidosa ou nula relevância para o bem comum”, assinala o comunicado da AJC.

O texto destaca a “relevância” de questões como o aborto e a eutanásia; a promoção da família, como “união duradoura entre um homem e uma mulher”; a “liberdade de ensino”; a “prioridade do combate à pobreza”, numa economia colocada ao serviço da pessoa; a promoção da paz; a defesa do ambiente; e o “acolhimento responsável de refugiados e migrantes”.

A Associação dos Juristas Católicos considera que várias destas questões “não são abordadas na campanha eleitoral e, por vezes, nem sequer nos programas eleitorais”.

OC

Igreja/Portugal: Bispos apelam ao voto, recordando princípios fundamentais do pensamento social católico (c/áudio)

 

Partilhar:
Share