Lamego, 12 ago 2019 (Ecclesia) – A Diocese de Lamego informa que faleceu aos 83 anos de idade o padre Henrique Paulo da Fonseca e a Eucaristia exequial realiza-se hoje, às 11h00, em Póvoa de Penela, de onde é natural.

Na nota enviada à Agência ECCLESIA, a Diocese de Lamego informa que a Missa exequial vai ser presidida pelo bispo diocesano, D. António Couto, e depois o sacerdote fica no jazigo da família no cemitério da Paróquia de Póvoa de Penela.

O padre Henrique Paulo da Fonseca faleceu aos 84 anos de idade este sábado, 10 de agosto, no Centro Pastoral da diocese onde viveu durante o último ano.

A Diocese de Lamego destaca que o sacerdote foi “o grande responsável” pela construção da nova igreja paroquial da Horta do Douro, a primeira pedra foi benzida a 10 de março de 1976 e sagrada pelo então bispo diocesano D. António Monteiro, a 15 de agosto de 1984, e das construções das residências paroquiais da Horta e de Numão.

Desde setembro de 1959, e ao longo de 54 anos, foi pároco de Horta do Douro e Numão, no concelho de Vila Nova de Foz Côa, da Paróquia dos Pereiros, do concelho de São João da Pesqueira, e paroquiou também temporariamente a paróquia de Custóias, no concelho de Vila Nova de Foz Côa, e de Vilarouco, no concelho de São João da Pesqueira.

Depois da instrução primária na sua terra natal, o padre Henrique Fonseca fez a sua formação sacerdotal nos seminários diocesanos em Resende e Lamego, tendo sido ordenado sacerdote a 15 de agosto de 1959, por D. João da Silva Campos Neves, com mais seis colegas de curso, na capela do Semanário Maior de Lamego.

O agora Papa emérito Bento XVI nas suas bodas de ouro sacerdotais nomeou-o monsenhor com o título de Capelão de Sua Santidade, em 2009.

O padre Henrique Paulo da Fonseca jubilou-se das funções paroquiais em setembro de 2013 e regressou para a sua terra natal onde colaborou na vida paroquial.

A diocese informa que o sacerdote nasceu a 22 de abril de 1936, na paróquia de Santa Margarida de Póvoa de Penela, criado no seio de uma família cristã com mais nove irmãos, por Luís Manuel da Fonseca e Maria Rosa Martins.

CB

Partilhar:
Share