D. António Couto presidiu à Eucaristia

Lamego, 11 jun 2021 (Ecclesia) – A Diocese de Lamego celebrou esta quinta-feira a peregrinação anual ao Santuário de Nossa Senhora da Lapa, tradição com mais de 500 anos.

A celebração foi presidida pelo bispo diocesano, D. António Couto, e concecelebrada pelo reitor do Santuário, padre Joaquim Dionísio, e o vigário-geral, padre Joaquim Dias Rebelo e uma dezena de sacerdotes.

Em comunicado, a Diocese de Lamego destaca a participação de grupos das zonas pastorais de Sernancelhe e Moimenta da Beira, além de Vila Nova de Paiva e de Castro Daire, seguindo as normas em vigor por causa da pandemia de Covid-19.

“Este ano houve menos pessoas a deslocarem-se a pé e, naturalmente, sem as cruzes e bandeiras paroquiais, que permitiam agrupar comunidades e ‘incentivar’ outros a participar”, acrescenta a nota.

A Missa começou com a procissão de entrada, com o andor de Nossa Senhora da Lapa a ser transportada por cinco jovens mulheres.

D. António Couto abordou, na sua homilia, a memória litúrgica do Santo Anjo da Guarda de Portugal, e refletiu sobre o lema do ano pastoral na Diocese de Lamego, ‘Abrir e semear sulcos de paz e de esperança’.

“Compete-nos abrir o nosso coração, de par em par, abrir sulcos no nosso coração e na nossa vida para que estes mensageiros de Deus possam deixar as sementes de Deus”, referiu.

O bispo de Lamego convidou os presentes a apresentar, na oração, as suas necessidade e dificuldades, num momento ainda marcado pela pandemia.

“Entregai as vossas preces a Maria, aqui, neste lugar santo, neste Santuário. Aqui respira-se melhor, esta ventilação comum que desce do Céu e sobe até ao Céu, este ambiente de casa, da casa familiar, da casa materna, da casa paterna, da nossa casa, da casa onde nos sentimos bem”, referiu o responsável, segundo nota enviada à Agência ECCLESIA.

No final, o reitor do Santuário deixou votos de que, na próxima grande peregrinação, a 15 de agosto, as condições permitam maior participação na celebração.

OC

Partilhar:
Share