«Contestar de forma individual não é a melhor solução», indica o movimento

A Juventude Operária Católica (JOC) anunciou a sua “solidariedade” com a greve geral desta Quarta-feira, colocando-se “mais uma vez ao lado dos trabalhadores”, refere um comunicado assinado pela Equipa Nacional daquele organismo.

“Contestar de forma individual não é a melhor solução”, pelo que “importa mobilizar os colegas de trabalho para a luta que é para o bem de todos”, assinala o texto do movimento.

O documento sublinha que as condições de vida dos jovens trabalhadores e das suas famílias têm vindo a ser fragilizadas pela “precariedade laboral”, “taxas de desemprego crescentes”, “proliferação dos recibos verdes”, “desregulamentação dos horários laborais” e “medidas de austeridade”.

Segundo a Juventude Operária Católica, estas opções políticas e económicas têm agravado as “desigualdades sociais” e provocado “um aumento da pobreza e da exclusão social”.

O movimento dirigido a jovens entre os 14 e 30 anos espera que a adesão a estas “Jornadas de luta” contribua para “ultrapassar as graves dificuldades actuais”, em “defesa de um trabalho digno e um desenvolvimento económico e social centrado na pessoa”.

A Liga Operária Católica/Movimento de Trabalhadores Cristãos (LOC/MTC) também já havia tornado pública a sua adesão à greve geral, na expectativa de que “a participação cívica”, “a capacidade de luta dos trabalhadores” e a “união nas ideias e nas acções” tornem possível “travar as políticas económicas e sociais em curso”.

O Catecismo da Igreja Católica (n.º 2435) refere que a “greve é moralmente legítima, quando se apresenta como recurso inevitável”, embora a carta “Octogesima Adveniens”, escrita em 1971 pelo Papa Paulo VI, ressalve no seu n.º 14 que, no caso dos serviços públicos “necessários para a vida quotidiana de toda uma comunidade, dever-se-á saber determinar os limites, para além dos quais o prejuízo causado se torna inadmissível”.

A delegação portuguesa da JOC, organização originalmente criada na Bélgica em 1925, foi fundada há 75 anos.

Partilhar:
Share