O presidente nacional da JOC, Gabriel esteves, defende que há muita incompreensão entre trabalhadores e entidades patronais, “que ainda têm muito foco no lucro e colocam o dinheiro à frente das pessoas” e o tempo de pandemia veio “agravar os atropelos aos direitos dos trabalhadores”.

O jovem engenheiro aponta o futuro com otimismo mas questiona a “dignidade que um jovem trabalhador terá com o salário mínimo.”

Partilhar:
Share