O Cardeal polaco Stanislaw Dziwisz, Arcebispo de Cracóvia e antigo secretário pessoal de João Paulo II, espera que o processo de beatificação do falecido Papa polaco chegue ao fim nos próximos meses, disse em entrevista ao jornal “Dziennik”. O processo iniciou-se pouco depois da morte do Papa Wojtyla, em Abril de 2005, com a dispensa concedida por Bento XVI do período de espera de 5 anos determinado pelo direito canónico. D. Dziwisz deixou claro, contudo, que “não vamos fazer pressão sobre Bento XVI”, afirmando que confia “na sua sabedoria”. “Mais vale não ser tão rápido e levar o processo a fundo, para que nunca alguém possa dizer que a questão foi abordada de forma superficial”, acrescentou. A 2 de Abril de 2007 começou o itinerário processual na Congregação para as Causas dos Santos, após a conclusão da fase diocesana. Em finais do ano passado, estava a ser elaborada a “Positio super virtutibus” (posição sobre as virtudes do fiel), fase processual que abre espaço para eventuais aprofundamentos. Ainda que o reconhecimento de um milagre (que tenha acontecido “post mortem”, nunca em vida) possa ajudar no caminho para a beatificação não pode, contudo, suprir uma eventual ausência de provas sobre a heroicidade das virtudes.

Partilhar:
Share