JMJ/Braga: D. Nuno Almeida desafia a levar «alegria e sabor do Evangelho aos lugares mais difíceis, às pessoas mais distantes»

Bispo auxiliar presidiu a Missa em Barcelos, na chegada dos símbolos da Jornada Mundial da Juventude

Barcelos, 06 fev 2023 (Ecclesia) – D. Nuno Almeida, bispo auxiliar de Braga, presidiu este domingo à Missa que acompanhou a chegada dos símbolos da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) ao Arciprestado de Barcelos, pedindo aos jovens “disponibilidade” para anunciar a mensagem cristã.

“Como a jovem Maria, podeis fazer com que a vossa vida se torne instrumento para melhorar o mundo. Jesus chama-vos a deixar a vossa marca na vida, uma marca que determine a história, a vossa história e a história de muitos”, disse, numa homilia divulgada pelo site da arquidiocese minhota.

A Arquidiocese de Braga recebe, de 29 de janeiro a 3 de março, a peregrinação dos dois símbolos da Jornada Mundial da Juventude nos seus 14 arciprestados (conjuntos de paróquias).

Este domingo, a Cruz e o Ícone de Nossa Senhora ‘Salus Populi Romani’ chegaram ao Arciprestado de Barcelos, onde permanecem até terça-feira.

Na homilia da Missa a que presidiu em frente ao Templo do Senhor Bom Jesus da Cruz, D. Nuno Almeida pediu que os jovems aceitem “o grande desafio” de levar o sal e a luz, “a alegria e o sabor do Evangelho, aos lugares mais difíceis, às pessoas mais distantes”.

“Se a luz ou o sal permanecerem fechados não servem para nada. Permanecer isolado num recipiente, fechado no saleiro não serve para nada; Um cristão, uma Igreja isolada do mundo não podem ser nem sal nem luz”, desenvolveu o bispo auxiliar de Braga.

Depois, os símbolos da JMJ foram em cortejo para o pavilhão municipal, onde decorreu um jogo de futsal, entre a equipa da Seleção Nacional do Clero e a Delegação dos Advogados de Barcelos, antes de animação e da festa.

Foto: DAPJovens Braga

A peregrinação da Cruz e do ícone de Nossa Senhora começou com o acolhimento no quartel dos Bombeiros Voluntários de Viatodos, “com cerca de duas centenas de pessoas”, e a bênção dos capacetes de um grupo motard que depois acompanhou a viagem até ao centro de Barcelos.

“A Cruz peregrina, bem como o ícone de Nossa Senhora Salus Populi Romani são objetos, mas eles trazem uma mensagem que nós não podemos menorizar nem ignorar. Eles são símbolos de fé, não de superstição”, disse o pároco de Viatodos, padre Jorge Gomes.

Segundo a direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Viatodos foi um “orgulho enorme” ser a primeira instituição de Barcelos a receber e a transportar a cruz e o ícone mariano.

“Como somos uma corporação que tem muita juventude faz todo o sentido estamos presentes na JMJ. A nossa Associação estará sempre recetiva a este tipo de iniciativas, sejam locais, nacionais ou até mundiais”, explicou Marco Carvalho.

Ainda na tarde deste domingo, os dois símbolos passaram pela igreja da Misericórdia de Barcelos, e pelos Santuários da Senhora da Aparecida, em Balugães, e da Senhora da Franqueira.

A arquidiocese minhota recebe 16ª etapa da peregrinação da Cruz dos jovens e do ícone mariano em Portugal, que começou no arciprestado de Esposende, já passou pelas paróquias da Póvoa de Varzim/Vila do Conde, e pelo Arciprestado de Vila Nova de Famalicão, onde visitou igrejas, escolas, bombeiros, a GNR e o hospital, e participaram num “Sunset com Maria”.

CB/OC

Partilhar:
Share
Scroll to Top