Encontro dos Comités Organizadores Paroquiais assumiu intenção de colocar território no percurso do evento internacional promovido pela Igreja Católica

Foto: Departamento da Juventude de Lamego/COD Lamego

Lamego, 21 fev 2022 (Ecclesia) – A Diocese de Lamego promoveu um encontro dos Comités Organizadores Paroquiais (COP) para a próxima Jornada Mundial da Juventude (JMJ), assumindo a intenção de colocar o território no percurso do evento internacional de 2023.

‘A tua jornada começa aqui’, refere um outdoor, colocado este domingo no centro da cidade, para convidar à preparação e participação na JMJ 2023, que vai decorrer em Lisboa de 1 a 6 de agosto do próximo ano.

D. António Couto, bispo de Lamego, disse à Agência ECCLESIA que “Lamego não vai ficar atrás dos outros”, neste caminho.

“Espero desta jornada que, juntamente com esta juventude, se envolva toda a população, os pais, os avós. Não é possível deixar os jovens sozinhos”, assinalou.

O responsável católico destaca o entusiasmo dos jovens, mostrando-se empenhado em acompanhá-los até à JMJ 2023 “com toda a alma, com toda a emoção, com todo o coração”.

Num Interior “envelhecido”, D. António Couto lamenta que estas novas gerações acabem por abandonar o território diocesano, por motivos académicos ou de trabalho, vendo na preparação da JMJ uma oportunidade de encontro, num território vasto e disperso, com “maneiras de ser diferentes”.

“É bonito ver esta gente toda, proveniente de diversos lugares, a reunir-se, a sentir-se da mesma família”, precisou.

Cláudia Dias, 22 anos, da paróquia de Vila da Ponte, aponta já aos chamados ‘Dias nas Dioceses’, sublinhando que o tempo até à JMJ 2023 é cada vez mais curto.

“Todos juntos vamos conseguir chegar a bom porto”, indicou.

A também chamada ‘pré-jornada’ é um encontro que antecede a semana da JMJ, promovendo a integração de jovens vindos de todo o mundo em comunidades paroquiais, nas várias dioceses do país, de norte a sul de Portugal e nas ilhas.

“Vai ser muito bom partilharmos aquilo que faz parte das nossas tradições”, indicou Cláudia Dias, confessando “ansiedade” pelo grande encontro mundial de Lisboa.

A jovem destaca as atividades desenvolvidas a nível diocesano, mensalmente, a cada dia 23, assinalando que “há todo um caminho ainda a percorrer”.

O padre Luís Rafael, responsável pelo Departamento Diocesano da Pastoral Juvenil de Lamego, destacou a importância do encontro deste domingo.

“Começa a sentir-se pressa no ar”, refere o sacerdote, numa referência ao tema da JMJ 2023 – ‘Maria levantou-se e partiu apressadamente’ (Lc 1, 39) –, que inspira o seu hino oficial.

Depois de dois anos marcados pela pandemia, o encontro dos jovens de Lamego mostrou o desejo de mobilização de todos.

“Temos uma avaliação muito positiva, ficamos surpreendidos com a quantidade de jovens que estiveram presentes e com a certeza de que vão fazer chegar esta mensagem”, observou o sacerdote, para quem a diocese tem promovido um caminho a “dois ritmos”, junto das comunidades e em grandes encontros, para que todos possam trabalhar em conjunto.

‘Rumo à Jornada Mundial da Juventude’ foi o lema do encontro, que começou com uma reunião com os COP, no Museu Diocesano de Lamego.

Na iniciativa foi entregue um símbolo, com o logotipo da JMJ, a cada Comité Organizador Arciprestal (COA).

Rafael Ferreira, da paróquia de Felgueiras (Resende), destacou o “lembrete de que a Jornada não está assim tão distante”.

“É uma responsabilidade”, assumiu.

O encontro de preparação contou com a presença de D. Américo Aguiar, presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023, e do presidente da Câmara Municipal de Lamego, Francisco Lopes.

O autarca referiu à Agência ECCLESIA que a colaboração com a Igreja Católica é “quotidiana”, assumindo a intenção de “procurar que os jovens de Lamego se envolvam neste evento”.

“Os nossos jovens precisam de perspetivar o futuro e fazê-lo com valores”, apontou.

CB/OC

A JMJ nasceu por iniciativa do Papa João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude.

As edições internacionais desta jornada promovida pela Igreja Católica são um acontecimento religioso e cultural que reúne centenas de milhares de jovens de todo o mundo, durante cerca de uma semana.

A primeira edição aconteceu em 1986, em Roma, e desde então a JMJ já passou pelas seguintes cidades: Buenos Aires (1987), Santiago de Compostela (1989), Czestochowa (1991), Denver (1993), Manila (1995), Paris (1997), Roma (2000), Toronto (2002), Colónia (2005), Sidney (2008), Madrid (2011), Rio de Janeiro (2013), Cracóvia (2016) e Panamá (2019).

 

Partilhar:
Share