Testemunhos, orações e pintura de murais vão envolver os jovens e as paróquias no caminho até encontro de Lisboa

Angra, 23 nov 2020 (Ecclesia) – A Diocese de Angra vai começar, a 29 de novembro, a preparação para a próxima Jornada Mundial da Juventude, marcada para o verão de 2023, em Lisboa, com testemunhos e a composição de um mural.

“Como não podia deixar de ser o Serviço Diocesano da Pastoral Juvenil insere-se nesta dinâmica e associa-se a toda a Igreja em Portugal”, pode ler-se no portal diocesano Igreja Açores.

No fim-de-semana de 28 e 29 de novembro, “é proposto que no final de todas as celebrações eucarísticas, um jovem faça uma alusão ao momento, evocando e discernindo sobre o que é uma Jornada Mundial da Juventude, os seus objetivos e destinatários”, iniciativa a decorrer em todas as paróquias das nove ilhas.

“A cada dia 23 do mês haverá uma iniciativa de oração por intenção da JMJ. Essa oração far-se-á regulamente em cada uma das 17 igrejas escolhidas para serem «a casa» da JMJ nos Açores, uma por ouvidoria”, pode ler-se.

Os responsáveis diocesanos pedem ainda a colaboração com as autoridades locais para a composição de “murais”, onde “os jovens possam pintar e desenhar elementos alusivos a estas jornadas”, ficando assim, como “ponto de encontro e animação permanente nas iniciativas das comunidades”.

O objetivo, apresentam, é que se possa pintar o caminho até 2023.

A Pastoral Juvenil desafia que a primeira pintura possa estar relacionada com a encíclica Laudato Si, fazendo coincidir a celebração do ano com o itinerário de preparação do evento juvenil.

O Papa João Paulo II esteve na diocese de Angra em 1991, momento que os responsáveis querem recordar na preparação da JMJ Lisboa 2023, lembrando os locais onde o Papa permaneceu, o adro da Sé de Angra e o Campo de São Francisco, em Ponta Delgada.

LS

Partilhar:
Share