A preparação da JMJ 2023 é convite para um “caminho de mãos dadas de todas as dioceses”

Foto: COD Viana do Castelo

Viana do Castelo, 19 dez 2020 (Ecclesia) – Os Comités Organizadores, Local e Diocesano, da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) 2023 reuniram-se esta sexta-feira, em Viana do Castelo, para organização num trabalho “com todos e para todos”. 

“Nunca nenhuma diocese sozinha tem capacidade de organizar uma JMJ e sabemos da envolvência que significa e deve significar a organização, por isso este pontapé de saída, o COL (Comité Organizador Local) junto do COD (Comité Organizador Diocesano), é este convite a uma sinodalidade, um caminho de mãos dadas de todas as dioceses”, explicava D. Américo Aguiar, presidente da Fundação JMJ 2023 ao COD.

O responsável apontou ainda que todos terão de “remar para o mesmo lado, sendo capazes de trabalhar ao nível nacional” que, “não é costume nem fácil, mas há estes anos para aprender”. 

A relação COL/COD começa a estreitar com este primeiro encontro, em Viana do Castelo, onde os COD’s, que estão a ser criados nas dioceses, vão ser “interlocutores de primeira escala numa ajuda mútua” de preparação da JMJ.

Neste encontro foi apresentado o COD de Viana do Castelo que assenta numa “equipa de coordenação, apoiada por seis equipas de trabalho: secretariado, comunicação, conteúdos, logística, dia JMJ e dias na diocese”. 

“Vão ter dois trabalhos, um mais focado para dentro da diocese no sentido de revitalizar a pastoral juvenil e outra vertente “para fora” com destaque para o acolhimento dos símbolos da JMJ (cruz e ícone) na diocese e o acolhimento de jovens estrangeiros nos Dias nas Dioceses antes da JMJ”, explicaram.

O encontro contou também com a presença do padre Filipe Diniz, diretor do Departamento Nacional da Pastoral Juvenil e responsável no Comité Organizador Local (COL) pela Peregrinação dos Símbolos no itinerário de preparação até 2023 e pelos Dias na Dioceses, do administrador diocesano, Monsenhor Sebastião, e do padre Domingos Meira, responsável pela Pastoral Juvenil da diocese. 

O padre Filipe Diniz deu ênfase à colaboração que será necessária nas várias áreas do COL, “nomeadamente na preparação da pré-jornada com os jovens que vêm mais cedo para conhecer o país e que se pretende que vivam uma semana missionária”, onde “é importante que os jovens de Viana façam a experiencia da pré-jornada” para depois viver na plenitude a JMJ.

Ao concluir D. Américo Aguiar deixou uma “palavra de solidariedade para todos os jovens”, neste tempo de pandemia e apelou à participação de todos nesta JMJ 2023, uma “oportunidade única” e onde “todos são precisos”.

Relacionando com este tempo de Natal o bispo auxiliar de Lisboa desejou que os jovens que participem na JMJ 2023 possam fazer como os Reis Magos. 

“Que os jovens depois da JMJ possam fazer como os Reis Magos, voltem por um caminho diferente, isso mostrará que valeu a pena o nosso esforço e empenho”. 

SN

Partilhar:
Share