Diocese de Angra desafia famílias ao acolhimento de jovens «como quem acolhe um romeiro» na semana anterior à jornada e recorda a peregrinação dos símbolos como um «momento galvanizador»

Foto Agência ECCLESIA/HM

Angra do Heroísmo, 16 jan 2023 (Ecclesia) – O diretor da Pastoral Juvenil dos Açores disse que a peregrinação dos símbolos da JMJ foi um “momento galvanizador”, continuado com a chegada do novo bispo diocesano, onde vão acolher jovens do México, EUA e Canadá.

“Já temos grupos confirmados do México, dos EUA e do Canadá. Pelo menos destes três países já temos cerca de 200 jovens”, disse o padre Norberto Brum em declarações à Agência ECCLESIA.

Na semana anterior à Jornada Mundial das Juventude (JMJ), jovens de todo o mundo são acolhidos nas dioceses portuguesas, entre os dias 26 e 31 de julho, num encontro de integração e preparação das atividades que decorrem em Lisboa entre os dias 1 e 6 de agosto com jovens, denominado “Dias nas Dioceses”.

O padre Norberto Brum afirma que a Diocese de Angra tem o objetivo de acolher 500 jovens na Ilha de São Miguel e 100 na Terceira durante os Dias nas Dioceses.

“Nós estamos no meio do oceano. Aqueles que vêm dos EUA e do Canadá podem fazer escala nos Açores, faz uma paragem. Quem vem do outro lado da Europa, já é mais complicado: tem de parar em Lisboa e depois vir a Ponta Delgada para regressar outra vez a Lisboa”, referiu.

O diretor do Serviço Diocesano de Apoio à Pastoral Juvenil, que é também o coordenador do Comité Organizador Local (COD) da JMJ nos Açores, disse que a mobilização das famílias para o acolhimento de jovens “não está a ser fácil”, por ser “uma novidade” para a maior parte dos diocesanos, apontando a experiência dos Romeiros, no tempo da Quaresma como motivadora para receber a juventude.

“Por aquilo que a São Miguel diz respeito, as famílias estão habituadas a colher os romeiros e estamos a fazer a campanha ‘Acolhe um peregrino como quem acolhe um romeiro’ e por aí estamos a ganhar algum terreno”, indicou o padre Norberto Brum.

Foto Agência ECCLESIA/HM – Símbolos da JMJ no Santuário do Senhor Santo Cristo, em São Miguel

Para o responsável pela Pastoral Juvenil nos Açores, a chegada do novo bispo diocesano é “algo galvanizador” e um “momento de esperança”, valorizando a formação em pastoral juvenil e familiar de D. Armando Esteves Domingues.

“Estamos confiantes que a sua presença, aquilo que ele vai fazer nestes próximos tempos, a sua aparição nas nossas ilhas, vai ser muito importante para nós, tendo a certeza que vai tocar também os jovens e vai dar-nos um impulso nesta caminhada”, afirmou.

Para o padre Norberto Brum, os jovens esperam do novo bispo da Diocese de Angra “proximidade, capacidade de escuta, um homem que acolha sem condenar, que aceite sem julgar e que, mais do que simpático, seja empático e viva os sonhos da juventude”.

Na Missa de entrada como bispo da Diocese de Angra, D. Armando Esteves Domingues disse na homilia que quer dar prioridade “a tudo o que tenha a ver com jovens ou com a Jornada Mundial da Juventude”, desafiando todos à participação.

“Nenhum jovem açoriano deverá ficar de fora a ver passar os aviões ou os navios e não falo apenas dos ligados às paróquias ou Movimentos. Todos têm lugar e voz! A tudo o que tenha a ver com Jovens ou Jornada Mundial da Juventude, darei prioridade na minha agenda deste ano. Gostaria poder entrar também na vossa agenda e caminhar convosco”, disse não homilia da Missa o novo bispo de Angra.

Na preparação para a JMJ Lisboa 2023, o responsável pelo COD dos Açores disse que a peregrinação dos símbolos da jornada, durante o mês de junho de 2022, “deixou uma marca positiva” que “movimentou, desinstalou e provocou” os jovens, referindo que “há já um entusiasmo crescente, de Santa Maria ao Corvo”.

“Já paira no ar a alegria da JMJ. Este entusiasmo tem sido mobilizador, não só para os jovens mas para a comunidade em geral. Temos sentido as comunidades empenhadas, já se fala mais das jornadas, as pessoas já sentem mais a jornada como sua. E este é o grande desafio: que cada um, particularmente os jovens, sintam a Jornada como sua”, afirmou.

De acordo com o padre Norberto Brum, a Diocese de Angra tem 500 jovens inscritos na JMJ Lisboa 2023, referindo que “ainda faltam muitos mais”.

A entrevista do responsável pelo COD de Angra vai estar em destaque no programa Ecclesia emitido hoje, dia 17, na RTP2, pelas 15h00.

HM/PR

Partilhar:
Share