D. Américo Aguiar, coordenador-geral do Comité Organizador Local, sublinha desafio de responder às indicações deixadas por Francisco

Foto Agência ECCLESIA/MC

Lisboa, 22 jun 2019 (Ecclesia) – D. Américo Aguiar, coordenador-geral do Comité Organizador Local (COL) de organização da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) em Lisboa, disse hoje à Agência ECCLESIA que o tema escolhido pelo Papa é uma indicação “fundamental” para o trabalho

“Para quem está ligado mais à logística, à organização do evento, era fundamental que o tema surgisse”, referiu à Agência ECCLESIA o bispo auxiliar de Lisboa, responsável pela área logística-operativa da JMJ que vai decorrer na capital lisboeta, no verão de 2022.

A edição portuguesa (37ª JMJ) tem como tema ‘Maria levantou-se e partiu apressadamente’ (Lc 1, 39), uma passagem do Evangelho de São Lucas (Lc 1, 39) relativa à visita da Virgem Maria à sua prima, Santa Isabel, mãe de São João Batista.

“Muito em breve”, adianta D. Américo Aguiar, o COL vai abrir “os concursos do logo e do próprio hino da Jornada Mundial da Juventude em Lisboa”, que se perspetivam como “particularmente importantes e interessantes, até para dinamizar a juventude em volta deste desafio”.

“Queremos oferecer à Igreja e ao mundo esta possibilidade, através do logo e do hino, de irmos preparando este caminho”, precisa o responsável.

Para o coordenador, o tema escolhido pelo Papa inspira “a urgência de ir ao encontro do outro e a urgência do cuidado pelo planeta”.

O entrevistado sublinha a ligação entre o Sínodo de 2018, dedicado às novas gerações, e a caminhada para JMJ 2022, com temas “muito fortes” e de acordo com “o espírito com que a juventude vive, atualmente”.

Para D. Américo Aguiar, um dos destaques é o “grito profundo da juventude” no que diz respeito às mudanças climáticas, acolhido pelo Papa na sua encíclica ‘Laudato Si’ (2015).

A questão ambiental, que estava tão esquecida, foi o próprio Papa que a colocou no ‘prime-time’ das preocupações mundiais. A juventude acolheu com muito carinho essa audiência e toma como sua essa mensagem, de cuidado pela casa comum”.

D. Américo Aguiar mostra a sua convicção de que a JMJ de Lisboa, a primeira em solo português, “terá de ser, obrigatoriamente, significativa e exemplar no que diz respeito ao cuidado pela casa comum e a sinais muito significativos, da parte dessas centenas de milhares de jovens”.

A 27 de janeiro deste ano, o Vaticano anunciou que Portugal vai acolher a próxima edição internacional da Jornada Mundial da Juventude na cidade de Lisboa, em 2022.

As JMJ nasceram por iniciativa do Papa João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude.

Cada JMJ realiza-se, anualmente, a nível local (diocesano) no Domingo de Ramos, alternando com um encontro internacional a cada dois ou três anos, numa grande cidade.

As edições internacionais destas jornadas promovidas pela Igreja Católica são um acontecimento religioso e cultural que reúne centenas de milhares de jovens de todo o mundo, durante cerca de uma semana.

OC

JMJ 2022: Papa anuncia tema para Jornada de Lisboa

Partilhar:
Share