Secretário de Estado diz que manifestou «preocupações» com passagens da lei e sublinha rejeição de qualquer «atitude ou gesto de intolerância»

Cidade do Vaticano, 24 jun 2021 (Ecclesia) – O secretário de Estado do Vaticano disse hoje que o Vaticano manifestou “preocupações” ao Governo da Itália, a respeito da nova lei contra a homofobia, mas rejeitou a ideia de que teria tentado bloquear ou alterar a mesma.

“Somos contra qualquer atitude ou gesto de intolerância ou ódio às pessoas por causa da sua orientação sexual. A nossa preocupação diz respeito aos problemas de interpretação”, referiu o cardeal Pietro Parolin, em entrevista ao portal ‘Vatican News’.

O responsável admitiu a troca de mensagens com o Governo italiano, “por via diplomática”, a respeito do decreto de lei.

“A nossa preocupação diz respeito aos problemas interpretativos, que poderiam surgir caso fosse adotado um texto de conteúdo vago e incerto, o que acabaria deslocando para a esfera judicial a definição do que é crime e do que não é”, precisou.

D. Pietro Parolin sustenta que o tema diz respeito a aspetos que são objeto de um acordo entre a Santa Sé e a República da Itália, mas recusa as acusações de “interferências” em assuntos de outro Governo.

“O Estado italiano é laico, não é um estado confessional, como reiterou o primeiro-ministro. Concordo plenamente com o presidente Draghi sobre a natureza laica do Estado e sobre a soberania do Parlamento italiano. Por isso, optou-se pelo instrumento da nota verbal, que é o meio próprio de diálogo nas relações internacionais”, assinalou.

OC

Partilhar:
Share