«Desperta as consciências adormecidas e convida a sair da indiferença, a ter compaixão» – Francisco

Foto Vatican News

Cidade do Vaticano, 01 mar 2021 (Ecclesia) – O Papa Francisco destacou hoje o “precioso serviço de escuta e de proximidade” do Centro Franciscano de Solidariedade de Florença (Itália), num mundo que corre a “duas velocidades”, de um lado produz riqueza e do outro lado “gera desigualdade”.

“Gostaria de dizer, antes de mais nada, ‘obrigado’. Num mundo que tende a correr em duas velocidades, que por um lado produz riqueza, mas por outro gera desigualdade, vocês são uma obra de assistência eficaz, baseada no voluntariado, e, aos olhos da fé, estão entre aqueles que semeiam o Reino de Deus”, disse o Papa na audiência desta manhã no Vaticano.

O Centro Franciscano de Solidariedade, organização de voluntariado na cidade italiana de Florença, desenvolve um trabalho que é “um sinal concreto de esperança” junto dos idosos e das pessoas portadoras de deficiência, que precisam de apoio e companhia, e das famílias que estão numa situação económica e social difícil.

“Desperta as consciências adormecidas e convida-nos a sair da indiferença, a ter compaixão por quem está ferido, a curvar-se com ternura sobre quem está esmagado pelo peso da vida”, assinalou Francisco, informa o portal ‘Vatican News’.

Francisco destacou o “precioso serviço de escuta e de proximidade” que o Centro Franciscano de Solidariedade realiza há quase 40 anos e comparou o seu trabalho à obra de Jesus que “se aproximou com compaixão das feridas humanas”.

“Deus é um Pai que quer proteger todos, defender e promover a dignidade de cada um de seus filhos e filhas, e que nos chama a construir as condições humanas, sociais e económicas para que ninguém seja excluído nos seus direitos fundamentais, para que ninguém tenha que sofrer por falta do pão material ou por solidão”, afirmou.

Foto Vatican News

O Centro Franciscano de Solidariedade, que nasceu em 1983, deu vida a uma iniciativa das Ordens Franciscanas Seculares de Florença, das três ordenas masculinas, os Frades Menores, dos Franciscanos Conventuais e dos Capuchinhos.

“Queridos amigos, vão em frente com coragem no trabalho! Peço ao Senhor que o sustente, porque sabemos que o nosso bom coração e a nossa força humana não são suficientes. Antes das coisas serem feitas e além dessas, quando estamos diante de uma pessoa pobre, somos chamados a um amor que faz senti-la como nosso irmão, nossa irmã”, afirmou o Papa.

O Papa salientou a inspiração da organização de voluntariado no “testemunho luminoso” de São Francisco de Assis, que “praticou a fraternidade universal”, em todos os lugares “semeou a paz e caminhou ao lado dos pobres, dos abandonados, dos doentes, dos descartados, dos últimos”.

CB/PR

Partilhar:
Share