Francisco chega esta manhã a Dublin para participar no 9.º Encontro Mundial de Famílias

Com  a jornalista Aura Miguel, enviada especial da Rádio Renascença a Dublin 

Foto Lusa

Dublin, 25 ago 2018 (Ecclesia) – O Papa chega hoje à Irlanda para participar no Encontro Mundial de Famílias, naquela que será a 24.ª viagem apostólica internacional do seu pontificado.

Francisco partiu esta manhã pelas 7h30 (hora portuguesa) do Aeroporto Internacional de Roma-Fiumicino, a bordo de um Airbus A320 da Alitalia.

A chegada a solo irlandês, ao Aeroporto Internacional de Dublin, está prevista para as 10h30, com o Papa argentino a começar por encontrar-se com o presidente irlandês, Michael Higgins, com representantes das autoridades, da sociedade civil e do corpo diplomático, e também com responsáveis da Igreja Católica local.

Numa carta enviada hoje, como habitualmente acontece a cada viagem apostólica internacional, ao presidente italiano, Francisco sublinhou aquela que será a principal  preocupação que irá trazer à Irlanda e aos participantes do Encontro Mundial de Famílias.

Mostrar ao mundo a importância de “continuar a apreciar e a salvaguardar o valor do matrimónio e da família”.

Uma premissa que reforçou também numa mensagem que remeteu a todo o povo irlandês, e em especial a todas as famílias que vão estar presentes neste evento internacional em Dublin.

“As famílias de hoje enfrentam muitos desafios nos seus esforços para incorporar um amor fiel, criar filhos com valores saudáveis ​​e estar na comunidade mais ampla, um fermento de bondade, amor e cuidado mútuo”, apontou.

A presença do Papa Francisco no atos finais do Encontro Mundial de Famílias está a ser aguardada com muita expectativa, também pelos casais portugueses presentes no evento.

Em declarações à Rádio Renascença, o casal Manuel e Celina Marques, responsável pelo Departamento Nacional da Pastoral Familiar, destaca a oportunidade de participar nesta iniciativa, que começou no dia 21 de agosto, pela “riqueza da comunhão e da partilha que encontraram, na diversidade das pessoas que compõem este grupo internacional”.

Os primeiros dias foram marcados por um congresso pastoral de reflexão, com intervenções e testemunhos de casais das mais variadas latitudes e contextos, norteado também pela exortação apostólica ‘A Alegria do Amor’, que o Papa dedicou aos desafios das famílias.

“A riqueza das exposições que nos foram oferecidas, nós só podemos estar presentes em algumas delas, traduzem também a nossa realidade, enriquecem-nos, e levam-nos energias e ideias também para animar a comunidade, para pôr a render na medida do possível”, sustentou o casal português, oriundo da Diocese do Porto.

“O que levamos daqui é uma vontade imensa de transmitir aquilo que aprendemos aqui, que ouvimos, principalmente  sobre o trabalho nas paróquias e a envolvência das famílias nas próprias atividades da Família, porque achamos que essa é uma falta muito grande que existe. Nós pensamos numa pastoral da família de dar, e é muito importante envolver”, frisa o casal Sónia e Manuel Martins, que também integram a Pastoral Familiar em Portugal.

De acordo com a organização do 9.º Encontro Mundial de Famílias, a iniciativa na capital irlandesa conta com pelo menos 37 mil pessoas inscritas, provenientes de um total de 116 países.

No entanto, serão muitas mais aquelas que quererão também acompanhar a par e passo os momentos que contarão com a intervenção do Papa Francisco, sobretudo dois momentos mais públicos.

A Festa das Famílias, que está marcada para hoje às 19h45 em Croke Park, e no domingo às 15h00, com a celebração da missa de encerramento em Phoenix Park, também na capital irlandesa.

No entanto, a agenda do Papa não se limita ao encontro mundial e dela consta também a deslocação ao Santuário de Knock, a visita a um centro de acolhimento para famílias e ainda a possibilidade de um encontro com pessoas vítimas de abusos, como normalmente Francisco costuma fazer, em países onde estes aconteceram.

Segundo o porta-voz da Santa Sé, Greg Burke, essa possibilidade não está ainda prevista, no caso desta viagem; confirmada para já está a passagem do Papa pela Catedral de Saint Mary, em Dublin, para rezar por todas as vítimas dos mais variados abusos.

Os Encontros Mundiais das Famílias tiveram início na cidade de Roma, em 1994, por iniciativa do Papa São João Paulo II, repetindo-se a cada três anos, sendo que a última edição teve lugar em 2015 na cidade norte-americana de Filadélfia.

JCP

Partilhar:
Share