Porta-voz da Santa Sé falou em «viagem muito breve, mas muito intensa», nos dias 25 e 26 de agosto

Cidade do Vaticano, 21 ago 2018 (Ecclesia) – O porta-voz da Santa Sé disse hoje que Francisco vai rezar por “todas as vítimas dos vários abusos”, podendo encontrar-se com vítimas, na viagem à Irlanda para o Encontro Mundial das Famílias, que é o “ênfase” da visita.

“Não é fácil fazer uma viagem normal, tendo em conta os recentes acontecimentos na Irlanda”, afirmou Greg Burke, na conferência de imprensa onde frisou que o Papa vai à Irlanda por causa do 9.º Encontro Mundial das Famílias.

O porta-voz da Santa Sé explicou que na agenda da viagem do pontífice consta uma oração na capela do Santíssimo da catedral de St. Mary, em Dublin, “onde há anos está acesa uma vela por todas as vítimas dos vários abusos”.

“O Papa rezará em silêncio. No programa, não está previsto um encontro com as vítimas, mesmo que durante as viagens, onde os abusos foram uma realidade marcante, o Papa encontra as vítimas”, desenvolveu.

Neste contexto, acrescentou que só depois do encontro é as vítimas dizem se “o que querem tornar público” mas “o importante para o Papa nesses momentos é que seja um momento de oração, de silêncio, de escuta”.

Na catedral de St. Mary, Francisco vai encontrar-se também com jovens casais que “casaram recentemente” ou que em poucos meses vão celebrar o Sacramento do Matrimónio.

Greg Burke realçou que há dois momentos centrais da 24.ª viagem apostólica de Francisco, nos dias 25 e 26 de agosto, que são, respetivamente, o festival das famílias, em Croke Park Stadium, e a Eucaristia de encerramento do 9.º Encontro Mundial das Famílias, no Phoenix Park.

“Será uma viagem muito breve, mas também muito intensa. Acredito que veremos o Papa que falará e celebrará com as famílias”, referiu aos jornalistas.

Depois da visita do Papa São João Paulo II, em 1979, esta é a primeira viagem de um Papa à Irlanda, um país “de grande tradição católica, cristã”, mas que se “desenvolveu muito rapidamente ultimamente, e também se tornou secularizado”, comentou o porta-voz da Santa Sé.

Na conferência de imprensa, Greg Burke observou que “há sempre desafios para as famílias”, mas talvez ainda mais hoje, e vai ser “um bom teste”, porque o Papa Francisco “acredita que a família é a escola das virtudes”.

“Numa família, uma pessoa pode aprender a pensar não apenas em si mesma, mas também nos outros. É por isso que o Papa fala sempre da importância da família para toda a sociedade”, acrescentou, divulga o sítio online ‘Vatican News’.

Os Encontros Mundiais das Famílias tiveram início na cidade de Roma, em 1994, por iniciativa do Papa São João Paulo II, repetindo-se a cada três anos, a última edição aconteceu na cidade norte-americana de Filadélfia.

CB

Partilhar:
Share