Investimento de 1,9 milhões de euros

Lisboa, 14 jun 2018 (Ecclesia) – A União das Misericórdias Portuguesas (UMP) concluiu a reconstrução e reabilitação de 28 habitações permanentes e tem em “processo adiantado” de execução 20 habitações afetadas pelos incêndios de junho de 2017, no centro do país.

“A parceria da UMP com a Fundação Calouste Gulbenkian, em articulação com o Fundo Revita, tem aprovado um investimento de 1 milhão e 912 279,26 euros (não contemplando o Imposto sobre o Valor Acrescentado) dos donativos angariados para a reabilitação e reconstrução totais e parciais de habitações permanentes nesta região”, assinala um comunicado da instituição, enviado hoje à Agência ECCLESIA.

O município de Pedrógão Grande é o que contempla um maior número de habitações a recuperar (25), estando 13 em processo de execução e 12 já concluídas.

O município de Castanheira de Pêra tem as 14 habitações alvo de intervenção totalmente concluídas; Figueiró dos Vinhos, Pampilhosa da Serra, Góis e Penela têm ainda oito habitações em processo de reconstrução.

Das 48 habitações permanentes atribuídas à parceria da UMP com a Fundação Calouste Gulbenkian, 32 são de reconstrução parcial e 16 totais.

“Estava previsto que no fim do mês de junho a totalidade das obras estivesse concluída, no entanto, devido às chuvas dos últimos meses, este prazo teve de ser prorrogado”, acrescenta a nota de imprensa.

O trabalho no terreno tem passado ainda pelo apoio a explorações agrícolas locais, através da aquisição de alfaias, animais e plantações.

A UMP disponibiliza o Relatório Trimestral de Execução, com dados até maio último, para consulta pública na plataforma digital “Juntos por Todos”.

A 17 de junho de 2017, um incêndio deflagrou no município de Pedrógão Grande e alastrou a concelhos vizinhos, provocando 66 mortos e 253 feridos.

As chamas atingiram cerca de 500 casas e quase 50 empresas, destruindo 53 mil hectares de território, 20 mil dos quais de floresta.

OC

Partilhar:
Share