Concelhos de Vila de Rei, Sertã e Mação na diocese conheceram «enorme rasto de destruição» incluindo «cinco casas de primeira habitação»

Foto: Lusa

Portalegre, 27 jul 2019 (Ecclesia) – O bispo de Portalegre-Castelo Branco pediu hoje a ajuda para as populações afetadas pelos incêndios em Vila de Rei, Sertã e Mação, marcados por “um enorme rasto de destruição, incluindo, pelo menos, cinco casas de primeira habitação”.

“Torna-se necessário envolver as comunidades cristãs e a comunidade mais alargada da nossa Diocese, na ajuda fraterna e solidária às famílias vitimadas”, afirma D. Antonino Dias num comunicado enviado à Agência ECCLESIA e publicado no site da diocese.

Lamenta o responsável que todos os anos os fogos florestais atinjam de “forma dolorosa muitas localidades da Diocese de Portalegre-Castelo Branco”.

“Não é difícil imaginar quanto desespero e dor isto provoca nas populações, quanto sofrimento, quanta pobreza a curto e a longo prazo”, sublinha.

D. Antonino Dias reconhece o “bom trabalho desenvolvido, em anos anteriores, pela Cáritas Diocesana conjuntamente com as paróquias e autarquias afetadas” mas afirma  a necessidade de uma “gestão concertada”, que englobe “estruturas civis existentes”, assim como “a rede Cáritas, seja a nível diocesano, seja a nível local através dos párocos e grupos paroquiais de ação social”.

A Cáritas Diocesana vai proceder ao “levantamento das necessidades” a “iniciar após a fase de rescaldo” e irá organizar uma “recolha de donativos” que poderá ser endereçada para a conta bancária para onde serão “canalizados todos os donativos angariados pelas paróquias ou que pessoas individualmente o desejem fazer”, estando já prevista um “encontro da Direção da Cáritas Diocesana com os párocos das zonas afetadas com os incêndios”.

“As Câmaras já estão a fazer o levantamento dos prejuízos. Depois disso, está prevista uma reunião com elas para estabelecer uma estratégia coordenada e eficiente”, informa em comunicado enviado à Agência ECCLESIA, Elicídio Bilé, da Cáritas diocesana de Portalegre-Castelo.

D. Antonino Dias fala ainda no “importante acompanhamento” das pessoas em situação de vulnerabilidade, que devem ser alvo de “apoio afetivo, espiritual e religioso”, “promovido pelas comunidades paroquiais afetadas”.

O bispo de Portalegre-Castelo Branco assegura que a Cáritas Diocesana irá manter a diocese informada sobre as diligências efetuadas e sobre os resultados obtidos.

“Embora nos sintamos pequeninos e impotentes perante tais calamidades, manifestamos a nossa proximidade junto dos Senhores Presidentes das Câmaras Municipais e das Juntas de freguesia e, de forma muito particular, junto das queridas populações tão sofridas”, indica o bispo de Portalegre-Castelo Branco.

Pede ainda D. Antonino a “a oração, a serenidade e a força interior” para que “juntos na caridade cristã”, todos se sintam “verdadeiramente irmãos e solidários”.

A conta solidária indicada pelo bispo de Portalegre-Castelo Branco é: IBAN: PT50.0036.0057.99100143379.08

LS

Partilhar:
Share