Manuel Sérgio inspira nova cátedra sobre «Desporto, Ética e Transcendência»

Lisboa, 15 mar 2019 (Ecclesia) – A Universidade Católica Portuguesa (UCP), através do seu Instituto de Estudos de Religião, acaba de lançar uma nova cátedra sobre desporto e transcendência, inspirada na figura do filósofo Manuel Sérgio, procurando abordar o fenómeno desportivo na sua complexidade.

“O professor Manuel Sérgio trouxe-nos uma leitura do desporto, e mais amplamente da atividade motora, como identificadora da nossa experiência humana, trouxe uma visão da complexidade: olhar para este fenómeno como um fenómeno complexo, que não se deixa descrever apenas de uma disciplina”, explica à Agência ECCLESIA o diretor do Instituto de Estudos de Religião, Alfredo Teixeira.

Para o antropólogo, a UCP assume assim o desafio de aprofundar a “visão humanista que o professor Manuel Sérgio tem do desporto”.

“A atividade desportiva mobiliza muitas dimensões da experiência humana”, sublinha o entrevistado.

Para Alfredo Teixeira, falar de vitória, de derrota, de alcançar uma meta é “falar de objetivos que têm de ter suportes técnicos, mas é também falar de uma experiência fundamental: a experiência do humano inacabado, do humano que se quer transcender”.

Para este responsável, existe correlação “estrutural” com a experiência religiosa, em particular com o Cristianismo.

“Na história da espiritualidade cristã, temos o termo exercício. Muito daquilo que as tradições da espiritualidade dizem a respeito da ascese, é algo que tem muito a ver com a prática da preparação desportiva”, recorda.

O diretor do Instituto de Estudos de Religião fala do desporto como “um laboratório fundamental” da “experiência humana”.

O filósofo português Manuel Sérgio inspirou a nova cátedra “Desporto, Ética e Transcendência”, promovida pelo Instituto Português do Desporto e Juventude pela Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa.

José Carlos Lima, coordenador do Plano Nacional de Ética no Desporto, refere à Agência ECCLESIA que Manuel Sérgio ajudou a “centralizar a reflexão do desporto no homem”.

“O corte epistemológico que ele faz é realmente essa dimensão da motricidade humana, centrada no homem, e isto é realmente uma revolução”, precisa.

Ele diz mesmo: não há chutos, há homens que chutam. Isso revela a centralidade do atleta, da pessoa que pratica desporto, do movimento, leva-nos a outras dimensões, mais ligadas a áreas das humanidades, à espiritualidade, às ciências sociais, tendo o homem como centro”.

O coordenador do Plano Nacional de Ética no Desporto destaca que a motricidade “caminha para a transcendência”, com “valores, uma axologia”, tendo em vista uma sociedade melhor.

Fernando Gomes, residente da Federação Portuguesa de Futebol, elogia uma “figura incontornável” no desporto nacional.

“Não há ninguém em Portugal, ligado à atividade desportiva, que não tenha um carinho muito especial pelo professor Manuel Sérgio”, assinala, falando numa “pessoa excecional” que sabe realçar os “valores intrínsecos” do próprio desporto.

Desde 2015, a Faculdade de Teologia da UCP, no âmbito dos seus centros de estudos e unidades integradas, desenvolveu atividades de formação e investigação, com o apoio do Instituto Português do Desporto e Juventude.

A cátedra ‘Desporto, Ética e Transcendência’, integrada no Instituto de Estudos de Religião, quer “aproximar os saberes” e ser uma “ponte de contacto” com os atores do campo desportivo, precisa Alfredo Teixeira.

A iniciativa prevê ações no domínio da formação avançada, da investigação e da edição.

Manuel Sérgio é o convidado da entrevista semanal conjunta Ecclesia/Renascença, que é publicada e emitida esta sexta-feira.

OC

Partilhar:
Share