Tiago Fernandes interveio em colóquio sobre «Católicos à Esquerda»

Lisboa, 09 fev 2017 (Ecclesia) – O professor de Ciência Política na Universidade Nova de Lisboa, Tiago Fernandes, considerou esta quarta-feira que o aproveitamento de textos bíblicos tem sido feito por várias correntes, com “alinhamento mais à esquerda ou mais à direita”.

Num debate promovido pelo Centro de Reflexão Cristã (CRC) com o tema ‘Católicos à Esquerda’, o professor universitário disse à Agência ECCLESIA que, historicamente e em contextos diversos, “sobretudo nos processos de democratização”, alguns segmentos dos cristãos “e a própria hierarquia da Igreja”, às vezes, alinharam com “grupos antidemocráticos e outras vezes com partidos de esquerda”.

Na sede do CRC, em Lisboa, esta iniciativa contou com a participação do padre José Tolentino de Mendonça, do historiador João Miguel de Almeida e de Tiago Fernandes, com moderação de Helena Topa Valentim.

“O alinhamento mais à esquerda ou mais à direita é explicável pelos contextos da própria sociedade”, defendeu Tiago Fernandes.

Historicamente, a direita em Portugal já teve como preocupações centrais, “o acesso aos bens de saúde, segurança social e proteção face ao desemprego”, mas a “direita contemporânea tem sido cada vez mais favorável ao mercado”, refere Tiago Fernandes.  

O professor da Universidade Nova de Lisboa considera que, quando o Papa Francisco afirmou que “esta economia mata”, se situou “claramente, no catolicismo de esquerda”.

O Papa argentino é “bem-vindo no mundo da esquerda”, sendo visto como alguém que procura “fazer pontes e alianças” na busca do bem comum, afirmou.

Para Rosa Lourenço, elemento da direção do CRC, o debate sobre esta temática é “extremamente importante” porque “os católicos à esquerda” se preocupam com a sociedade, “sem deixar de lado os princípios cristãos”.

“Os católicos à esquerda têm uma grande preocupação com as questões sociais, tais como a pobreza e a dignidade humana”, sublinhou.

LFS

Partilhar:
Share